TAP quer que sindicato assine acordo de confidencialidade para revelar plano de reestruturação, denuncia SITAVA

“Será esta a nova forma de sindicalismo livre, o sindicalismo secreto?”, questiona o SITAVA depois da reunião com Miguel Frasquilho e Ramiro Sequeira que teve lugar esta semana, e onde rejeitaram divulgar o plano de reestruturação sem a assinatura de um acordo de confidencialidade.

A TAP só revela o plano de reestruturação aos sindicatos se estes assinarem um acordo de confidencialidade, denunciou hoje o Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA).

Na reunião que teve lugar na segunda-feira passada com o presidente do conselho de administração, Miguel Frasquilho, e com o presidente da comissão executiva, Ramiro Sequeira, foram apresentados ao sindicato “13 slides de um total de 198” que o plano de reestruturação tem.

“Quando pedimos mais informação relevante dizem-nos que é confidencial e que nos entregarão mais alguma se assinarmos um acordo de confidencialidade, acrescentando ainda que não poderemos divulgá-la, nem aos nossos associados”, denuncia o sindicato de trabalhadores de terra da TAP esta quarta-feira.

“Pergunta-se: para que raio serve então essa informação se não pode ser utilizada? Será esta a nova forma de sindicalismo livre, o sindicalismo secreto?”, questiona a estrutura.

Sobre o encontro, o sindicato denuncia que “voltou a falar-se mais uma vez na intenção de fazerem cortes nos salários dos trabalhadores como se estes fossem um simples salame, onde se podem retirar fatias sem que isso atinja a subsistência dos trabalhadores e das suas famílias. Dizem com a maior cara de pau que vão cortar em todos os rendimentos acima de 700 euros. Isto é gente que, claramente, nunca viveu com o salário mínimo ou pouco mais. Ou será que estão a contar com os chorudos prémios que receberam para compensar alguma fatiazinha que lhes venham agora cortar?”.

O sindicato também denunciou que “falam também com cada vez maior insistência que os Acordos de Empresa vão ser suspensos. À nossa pergunta por quanto tempo, não sabem, assim como também não sabem se a suspensão é total ou parcial. Também nesta matéria é bom relembrar que quando se faz um acordo são sempre precisas duas partes que, voluntariamente, outorgam esse acordo. Suspendê-lo será sempre um ato prepotente que, a acontecer, terá que ser com intervenção do Governo”.

Para terminar, o SITAVA assinala a “ironia que seria um governo do PS apoiado à esquerda a torpedear de forma grosseira Acordos de Empresa e direitos dos trabalhadores conquistados com muitos sacrifícios e ao longo de muitos anos. Os trabalhadores certamente saberão tirar daqui as suas ilações”.

Relacionadas
João Gonçalves Pereira

TAP. CDS diz que Governo vai ter de fazer um Orçamento retificativo em 2021 para injetar mais 470 milhões

O CDS saiu preocupado da reunião com o Governo pois o plano do executivo para a TAP “implica um envelope financeiro de muitos milhões de euros em varias tranches ao longo dos próximos anos”. Em menos de dois anos, a TAP vai receber 2.170 milhões de euros de dinheiro público.

Eduardo Catroga diz que “a TAP é um mau exemplo de interferência política continuada”

Antigo ministro das Finanças defende que os erros na companhia aérea começaram muito antes da pandemia e continuaram com o modelo de apoio escolhido, expressando o desejo de que não existam interferências no plano de reestruturação.

TAP. Governo apresenta hoje plano de reestruturação aos partidos em reuniões à porta fechada

O plano de reestruturação da TAP só será entregue no último dia do prazo dado por Bruxelas, 10 de dezembro, mas antes o Governo discute-o com os partidos, hoje e na quinta-feira, em reuniões fechadas, no parlamento.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Clara Raposo e novos administradores do Banco de Portugal tomam posse esta terça-feira

Clara Raposo, presidente do ISEG Lisbon School of Economics, toma posse esta terça-feira como vice-governadora do Banco de Portugal. O Governador Mário Centeno passará assim a contar com dois vice-governadores, já que Luís Máximo dos Santos é reconduzido no cargo.

Global Service center da Fujifilm serve 25 países a partir de Portugal

A Fujifilm apresentou up grade o seu Global Service Center em Portugal, que inclui o centro de reparação de endoscópios e agora o maior centro de assistência técnica na Europa para a gama de câmaras digitais e objetivas.
Comentários