TAP registou prejuízos de 121 milhões de euros no primeiro trimestre do ano

Este valor representou uma quebra de 66,7% do que o verificado no mesmo período do ano anterior.

A TAP terminou o primeiro trimestre de 2022 com um prejuízo de 121 milhões de euros, valor que significo uma descida de 66,7% face ao verificado no mesmo período do ano anterior, informou a companhia aérea portuguesa em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta sexta-feira, 27 de maio.

Por outro lado, a empresa revelou que no período em análise as receitas operacionais triplicaram em comparação com o primeiro trimestre de 2021, aumentando dos 340,7 milhões de euros para os 490,6 milhões de euros, tendo representado 80% das receitas operacionais registadas no primeiro trimestre de 2019 e que, a empresa indica no comunicado que foram em grande parte suportados “pelo desempenho do segmento de receitas de passageiros, que apresentou um crescimento de 326,1 milhões de euros”.

Já os custos operacionais recorrentes atingiram os 537,1 milhões de euros, o que significou uma diminuição de 9,4% em comparação com o trimestre anterior e que em comparação com o mesmo período de 2019, caíram 24,7% devido “às bem sucedidas medidas de reestruturação e de redução de custos estruturais implementadas”, pode ler-se no documento.

Por seu turno, o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 58,1 milhões, superando os níveis pré-pandemia do primeiro trimestre em 54,7 milhões de euros.

Recomendadas

Venezuela prepara acordos com petrolífera Chevron após alívio de sanções

A Venezuela anunciou hoje que vai assinar, nas próximas horas, acordos com a petrolífera norte-americana Chevron para impulsionar o desenvolvimento local de empresas mistas (capital público e privado) e a produção de petróleo.

“Via Verde rejeita categoricamente qualquer acusação de burla” que circule no Portal da Queixa

“Sempre que um cliente passa numa portagem e a transação falha, a Via Verde comunica diretamente com o cliente a dar conta de um eventual problema”, justifica. “Este alerta visa sempre proteger os clientes. Se o problema for confirmado, o cliente pode subscrever um plano Via Verde ou, se assim preferir, comprar um identificador novo”, esclarece fonte oficial da empresa ao JE.

ORES Portugal compra três hipermercados por 26,2 milhões que alugará ao Continente

Os três ativos imobiliários são objeto de contratos de arrendamento de longa duração com o Continente, do grupo Sonae, segundo um comunicado da SIGI do Bankinter e da Sonae Sierra.
Comentários