TAP. Tripulantes de cabine denunciam ‘barril de pólvora’

Os tripulantes de cabine acusam a administração da companhia aérea nacional de não estar a cumprir o acordo de empresa e de hão haver aumentos salariais há vários anos.

Os tempos de acalmia laboral na TAP parecem estar à beira do fim.

O SNPVAC – Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil considera que a administração da companhia aérea nacional não está a cumprir o acordo de empresa e queixa-se de que não há aumentos salariais há vários anos.

Em declarações à RTP, hoje, dia 28 de dezembro, Henrique Louro Martins, do SNPVAC, acusou que “a TAP teima em não cumprir o acordo da empresa na sua totalidade”.

“Tem dificultado a vida, aqui com interpretações que nós não entendemos o porquê. E julgo que neste momento, no seio dos tripulantes de cabine, se vive alguma inquietação, e eu tenho algum receio que este barril de pólvora se esteja a tornar demasiado grande para um rastilho tão pequeno”, alertou Henrique Louro Martins.

O dirigente do SNPVAC acrescentou que o que “os trabalhadores, nomeadamente os tripulantes de cabine, não vêem é aumentos salariais a alguns anos a esta parte”.

“Nós somos a linha da frente da companhia, nós somos a face mais visível da empresa, e à qual, a empresa tem feito, no meu ver, muito pouco em termos salariais”, avisou o dirigente sindical do SNPVAC.

Recomendadas

Alliance Healthcare tem um novo CEO

Paulo Clímaco Lilaia é o novo CEO da Alliance Healthcare, anunciou a empresa que  armazena e distribui produtos farmacêuticos, em comunicado.

Unicórnio Feedzai nomeia David Henshall para o conselho de administração

O antigo presidente e CEO da norte-americana Citrix Systems juntou-se à gestão da empresa liderada por Nuno Sebastião, conhecida pela sua plataforma digital de gestão de risco e fraude financeira.

TikTok pode enfrentar multa por proteção de dados de crianças no Reino Unido

A rede social pode enfrentar uma multa de 27 milhões de libras (cerca de 30,03 milhões de euros) por ter alegadamente processado os dados de crianças menores de 13 anos sem o consentimento apropriado dos pais.
Comentários