TAP: Ventura considera aumento salarial na administração “insultuoso”

O candidato presidencial André Ventura classificou hoje de “vergonhoso” o anunciado aumento do salário de alguns administradores da TAP, considerando que se trata de “um insulto” aos portugueses.

Em Braga, durante uma arruada integrada na pré-campanha eleitoral, André Ventura, que é também o líder do Chega, disse ainda esperar que a decisão do aumento dos salários seja revertida.

“É um insulto a todos os portugueses, é um insulto a quem está a lutar para se manter à superfície, é um insulto aos funcionários da TAP”, afirmou.

O jornal Eco avançou na segunda-feira que três membros da administração da TAP viram os salários aumentados, com o aval do Governo, incluindo o presidente executivo e o presidente do Conselho de Administração.

Para André Ventura, o aumento salarial é “vergonhoso”, tendo em conta o “momento em que se preparam tanto cortes na TAP” e que a transportadora se apresenta “numa espécie de pré-falência”.

“É a maior hipocrisia do Governo, apresentar um plano de cortes na TAP, mas os gestores de topo são aumentados e os outros ficam a ver navios e alguns são despedidos”, acrescentou Ventura.

O candidato presidencial apoiado pelo Chega disse esperar que a decisão dos aumentos seja revertida, por considerar inadmissível que “quatro, cinco ou dez” vivam “principescamente”, com salários de “25 mil euros”, pagos “por todos os portugueses”.

“É preciso salvar a TAP mas não é a pagar salários milionários que se vai salvar a TAP”, rematou.

Hoje, Miguel Frasquilho anunciou que abdicou do acréscimo salarial de que usufruiu a partir da saída de Humberto Pedrosa, porque quer continuar a fazer parte das negociações sobre o futuro da companhia.

Em nota enviada à comunicação social, Frasquilho dá conta de que as mesmas condições remuneratórias do seu antecessor, Humberto Pedrosa, que renunciou aos cargos de administrador que desempenhava no Grupo TAP, passaram para si, “por força das presidências e das responsabilidades acrescidas” que assumiu.

“Não houve, assim, qualquer acréscimo de custos para a TAP por força da minha assunção destas funções”, garantiu Miguel Frasquilho.

O plano de reestruturação da TAP, entregue em Bruxelas este mês prevê a suspensão dos acordos de empresa, medida sem a qual, segundo o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, não seria possível fazer a reestruturação da TAP.

O documento entregue à Comissão Europeia prevê o despedimento de 500 pilotos, 750 tripulantes de cabine, 450 trabalhadores da manutenção e engenharia e 250 das restantes áreas.

O plano prevê, ainda, a redução de 25% da massa salarial do grupo (30% no caso dos órgãos sociais) e do número de aviões que compõem a frota da companhia, de 108 para 88 aviões comerciais.

Relacionadas

Parlamento chumba pedido de André Ventura para suspensão de mandato

PS, PSD, BE e PCP votaram contra o parecer apresentado pelo deputado centrista João Almeida que previa a substituição de André Ventura durante a campanha eleitoral referente às presidenciais. Votaram a favor desta proposta o CDS, PAN e ainda os deputados socialistas Jorge Lacão e Isabel Oneto.

André Ventura “confiante” que parlamento vai aceitar suspensão do mandato de deputado

O candidato presidencial André Ventura mostrou-se “confiante” que o parlamento vai esta terça-feira votar favoravelmente o seu pedido de suspensão temporária do mandato como deputado, para que no próximo mês possa conduzir as ações de campanha.
Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.

Restaurantes da AHRESP vão assegurar alimentação dos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude

A AHRESP vai apoiar a Fundação na “definição das regras de funcionamento da rede de restaurantes e similares que irão assegurar o fornecimento de refeições para os participantes da Jornada Mundial da Juventude e contactar restaurantes e similares para promover a sua adesão à rede, bem como promover o uso do Guia de Boas Práticas da Restauração e Bebidas junto da rede”, lê-se no comunicado.  
Comentários