Tarifas da luz vão baixar 3,5% a partir de janeiro para as famílias

Em média, esta redução representa para as famílias portuguesas que estão em mercado regulado uma poupança média de 1,5 euros por mês.

O Governo anunciou à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) um reforço de dois terços da receita da Contribuição Extraordinária do Setor Energética (CESE) para o sistema elétrico, o que vai permitir que as tarifas baixem 3,5% em janeiro para as famílias. Em média, esta redução representa para as famílias portuguesas uma poupança média de 1,5 euros por mês, avança o semanário “Expresso”.

Num despacho enviado pelo Governo à ERSE, a 30 de novembro, o Governo aprovou a transferência de mais 189 milhões de euros para o setor elétrico, o que vai permitir uma redução das tarifas cobradas às famílias. O “Expresso” noticia ainda que há um documento da ERSE que prevê que as tarifas afinal “baixem 3,5% em janeiro para as famílias em Portugal continental”.

Nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores a descida será de 0,6%. O regulador tem até 15 de dezembro para divulgar as tarifas para o próximo ano. Em meados de outubro, a ERSE previa um aumento de 0,1% para os consumidores domésticos a partir janeiro de 2019. Este ano, ter-se-á registado a primeira descida desde 2000 nas tarifas, com um recuo de 0,2% face ao ano anterior.

 

 

 

Recomendadas

Ex-ministro das Finanças do Luxemburgo Pierre Gramegna lidera MEE a partir de hoje

Numa reunião realizada à distância na passada sexta-feira, o Conselho de Governadores do MEE, que junta os 19 ministros das Finanças da moeda única, decidiu nomear o luxemburguês Pierre Gramegna para o cargo de diretor executivo do fundo de resgate da zona euro.

Ministro das Finanças diz que Governo retirou Portugal da “posição isolada” de terceiro país mais endividado

O ministro das Finanças afirmou que o desempenho do Governo em 2022 permitiu retirar Portugal da “posição isolada” de terceiro país mais endividado da Europa, sublinhando que isso representa um “ganho de credibilidade”.

Desemprego na zona euro cai para 6,5% em outubro atingindo mínimo histórico desde 2008

A taxa de desemprego na zona euro caiu para 6,5% em outubro, o que compara com 7,3% no mesmo mês de 2021, anunciou hoje o gabinete estatístico da União Europeia (UE), revelando ser um mínimo histórico desde 2008.
Comentários