Taxa de inflação espanhola acelera para 8,7% em maio com aumento dos combustíveis

A taxa de inflação em Espanha fixou-se em 8,7%, no mês passado, 0,4 pontos percentuais acima da registada em abril, impulsionada pela subida do preço dos combustíveis e de alguns alimentos.

7 – Espanha

Segundo o Índice de Preços do Consumo (IPC) Geral do Instituto Nacional de Estatística (INE) espanhol, a taxa de inflação ascendeu a 8,7% em maio.

A contribuir para esta percentagem estiveram o aumento do preço dos combustíveis e de produtos como cereais, laticínios, ovos e carnes.

Excluindo os efeitos fiscais, o IPC teria registado um aumento homólogo de 9,6% em maio.

Os transportes foram a categoria que mais pressionou a inflação espanhola em maio, com um aumento de 14,9%, mais dois pontos do que em abril, com a subida dos preços dos combustíveis e dos lubrificantes.

Por sua vez, os alimentos e as bebidas não alcoólicas avançaram 11%, um nível recorde desde 1994, destacando-se o valor do pão, cereais, leite, queijo, ovos e carne.

Já as leguminosas e os vegetais ficaram mais baratos.

O preço dos cafés, hotéis e restaurante foi inflacionado, no período em análise, em 6,3%.

Neste período, o preço da habitação caiu, embora apresentando uma taxa de 17,5%.

Em maio, a inflação aumentou em todas as comunidades autónomas, com exceção de Navarra e Aragão, onde recuou para 8,5% e 9,3%, respetivamente.

As maiores subidas verificaram-se em Múrcia e na Estremadura, com ganhos de um e 0,7 pontos para, respetivamente, 9,2% e 9,4%.

Recomendadas

Conselho da UE anuncia apoio de 40 milhões de euros para o exército da Moldávia

Este apoio complementa a contribuição europeia de sete milhões de euros, feita em dezembro de 2021, destinada na altura a capacitar o Serviço Médico Militar do Batalhão de Engenharia das Forças Armadas moldavas. 

Ucrânia: Diplomacia russa protesta contra afirmações ‘grosseiras’ de Johnson

Em comunicado, o Ministério adiantou que Deborah Bronnert recebeu um protesto “firme” contra “as afirmações abertamente grosseiras a respeito da Federação Russa, do seu dirigente, dos seus responsáveis, bem como do povo russo”.

ONU classifica de “revés” decisão judicial que limita regulação ambiental nos EUA

A ONU considerou que retrocessos em países que produzem grandes quantidades de emissões prejudiciais ao ambiente, como os Estados Unidos, tornam “mais difícil alcançar os objetivos estabelecidos no Acordo de Paris para um planeta mais saudável e em que se possa viver”.
Comentários