Taxa de pobreza entre negros e mestiços é quase o dobro dos brancos no Brasil

A taxa de pobreza entre negros e mestiços é quase o dobro da dos brancos no Brasil, um país onde a maioria da população é negra, de acordo com um estudo divulgado hoje pelo Governo.

8 – Brasil

De acordo com o estudo Desigualdades Sociais por Cor ou Raça realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a proporção de pobres no país era de 18,6% entre os brancos, 34,5% entre os negros e 38,4% entre os mestiços, tendo em conta as linhas de pobreza do Banco Mundial.

Esta diferença pode também ser vista na taxa de desemprego. Enquanto 11,3% dos brancos estiveram desempregados no ano passado, 32,7% dos negros e mestiços estiveram desempregados.

“As populações negra e mestiça representam 9,1% e 47% da população brasileira, respetivamente. No entanto, nos indicadores que refletem melhores níveis de condições de vida, a participação destas populações é menor”, diz o analista do IBGE João Hallak, citado no relatório.

Na habitação, por exemplo, entre a população que vivia nas suas próprias casas, 20,8% dos mestiços e 19,7% dos negros viviam em casas sem um documento de propriedade, quase o dobro da população branca (10,1%).

Segundo o Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM), entre 2019 e 2020 o número de homicídios no país cresceu 9,6%.

Em 2020 houve 49.900 homicídios, o equivalente a 23,6 mortes por 100.000 habitantes.

Entre os mestiços, a taxa foi de 34,1 mortes por 100.000 habitantes, três vezes a taxa observada entre os brancos (11.500 mortes por 100.000 habitantes). Entre os negros, a taxa era de 21,9.

Recomendadas

Angola estuda impacto social de fim dos subsídios ao preço dos combustíveis

Segundo Vera Daves, Angola está a analisar com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial (BM) as “possíveis” medidas de mitigação do impacto social, porque as “preocupações mantêm-se” relativamente ao potencial impacto social da remoção dos subsídios aos combustíveis, que têm um preço muito baixo e não reflete a oscilação do mercado internacional.

Ucrânia: Portugal atribuiu mais de 55.000 proteções temporárias a pessoas que fugiram da guerra

Segundo a última atualização feita pelo SEF, desde o início da guerra, a 24 de fevereiro, Portugal concedeu 55.560 proteções temporárias a cidadãos ucranianos e a estrangeiros que residiam na Ucrânia, 32.569 dos quais a mulheres e 22.991 a homens.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários