Taxa de desemprego nos 10,9% há três meses

O valor provisório, divulgado há um mês, foi agora revisto em alta pelo INE, em 0,1 pontos percentuais.

A estimativa definitiva da taxa de desemprego de setembro manteve-se inalterada face ao mês anterior, em 10,9% e recuou 0,1 pontos percentuais face a três meses antes, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Este valor mantém-se assim inalterado desde julho. O valor de setembro foi revisto ligeiramente em alta, em 0,1 pontos, face à estimativa provisória divulgada há um mês, que foi de 10,8%.

Em setembro o número de desempregados caiu 0,3%, para 558,2 mil pessoas, havendo menos 1,6 mil pessoas no desemprego face ao mês anterior. A população empregada em setembro também caiu face a agosto (menos 5,1 mil pessoas empregadas, uma diminuição de 0,1%).

Quanto a outubro, o INE avança que a taxa provisória de desemprego é de 10,8%. A taxa de desemprego dos jovens situou-se em 28,9% e aumentou 0,3 pontos percentuais em relação a setembro.

 

Recomendadas

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas”, afirma CEO do Access Bank

O banco nigeriano Access Bank garantiu 51% das ações da Montepio Holding, materializando a sua intenção de comprar o Finibanco Angola com uma participação de controlo, uma operação que Herbert Wigwe, CEO da Access Holding Pics, justifica com a determinação do grupo em aproveitar oportunidades fora daquele país localizado no Golfo da Guiné. 

Líder da Fretilin propõe relação mais económica entre Portugal e Timor-Leste

Em entrevista à Lusa em Lisboa, Mari Alkatiri explicou que esse tem sido o tema das conversas com políticos portugueses, entre os quais o Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, defendendo uma relação multilateral do quadro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

“Governo vai mexer nos escalões do IRS no próximo ano”; “Polícias proibidos de disparar com balas reais contra multidões”; “22 mil milhões de euros para a banca”
Comentários