Taxas Euribor continuam a subir e os consumidores a enfrentar dificuldades

A Euribor tem subido de forma acentuada nas últimas semanas, levando ao aumento das prestações mensais do crédito à habitação, logo a um agravamento das dificuldades das famílias. A taxa da Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno positivo em 06 de junho de 2022, está atualmente acima dos 2,4%. Este é um novo máximo desde janeiro de 2009.

De referir que a Euribor a seis meses esteve negativa durante seis anos e sete meses (entre 06 de novembro de 2015 e 03 de junho de 2022).

A Euribor a 12 meses está acima dos 2,8%, um máximo desde janeiro de 2009. Os valores começaram a subir de forma galopante após abril de 2022 para 0,005%, pela primeira vez positiva, desde 05 de fevereiro de 2016.

A média da Euribor a 12 meses avançou de 2,629% em outubro para 2,828% em novembro.

As Euribor começaram a subir mais significativamente em fevereiro deste ano, depois de o Banco Central Europeu (BCE) ter referido que teria de subir as taxas de juro diretoras, devido ao aumento da inflação na zona euro, sentido já desde o final de 2021.

Sempre que o BCE revê das taxas de juro, assistimos a um aumento da Euribor. Tal acontece porque a evolução das taxas de juro Euribor está intimamente ligada às oscilações das taxas de juro diretoras do BCE.

As taxas Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro no mercado interbancário.

No caso do crédito habitação, os prazos mais comuns são a três meses, seis meses e doze meses. Isto significa que quando se contrata um crédito com uma taxa Euribor a seis meses, o valor da prestação de crédito será revisto semestralmente. Quando a Euribor sobe, inevitavelmente a prestação de crédito também subirá, aplicando-se o mesmo princípio quando desce.

Relembramos o consumidor que, em caso de dificuldades financeiras ou na iminência de não conseguir pagar a prestação do crédito, deverá contactar o seu Banco e alertar para essa situação. Desta forma conseguirá a colaboração da Instituição Bancária, chegando a uma solução que permitirá ultrapassar o esforço no cumprimento do crédito.

Informe-se connosco.

Marque a sua consulta através dos contactos: 213710238. Relate-nos o seu problema pela linha whatsapp 966449110 ou email: gasdeco@deco.pt. Visite o nosso site DECO.PT e siga-nos nas páginas de Facebook, Twitter, Instagram e Linkedin

Recomendadas

Deputados aprovam definição de limite de isenção para despesas com teletrabalho

Os deputados aprovaram hoje na especialidade uma proposta do PS para que seja definido o valor até ao qual a compensação que as empresas têm de pagar pelas despesas adicionais com teletrabalho ficam isentas de imposto.

Saiba aqui por que é importante sensibilizar os jovens para gerir o dinheiro e poupar

No geral, as famílias portuguesas ainda poupam muito pouco e é necessário inverter esta tendência começando precisamente pelos mais novos. É importante que os jovens aprendam a poupar, a fazer escolhas no presente para que possam pensar num objetivo no futuro.

Saiba aqui quais são as vantagens e desvantagens da utilização de cartões de fidelização

Muitas empresas, desde hipermercados a lojas de pequeno comércio, promovem a adesão a este género de cartões de fidelização, seja com a componente de crédito, seja para pagamento imediato. Para que o consumidor não receba dissabores na vez de descontos, convém que se informe cuidadosamente e conheça os prós e os contra. 
Comentários