Taxas Euribor mantêm-se a três e seis meses e sobem a 12 meses

As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três e seis meses e subiram para novos máximos desde junho no prazo de 12 meses em relação a quinta-feira.

Konstantin Chernichkin/Reuters

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, manteve-se hoje em -0,310%, contra -0,309% em 19 de dezembro, atual máximo desde junho.

A taxa Euribor a três meses registou o mínimo de sempre, de -0,332%, pela primeira vez em 10 de abril de 2017.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, voltou hoje, pela quarta sessão consecutiva, a ser fixada em -0,238%, contra o atual máximo dos últimos seis meses, de -0,237%, em 17 de dezembro e o atual mínimo de sempre, de -0,279%, registado pela primeira vez em 31 de janeiro de 2018.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, avançou hoje para -0,119%, novo máximo de seis meses, mais 0,002 pontos e contra o atual mínimo de sempre, de -0,194%, atingido pela primeira vez em 18 de dezembro de 2017.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Recomendadas

Saiba em que consiste a etiqueta energética e a sua importância na compra de equipamentos elétricos

A nova etiqueta energética já é uma realidade no nosso mercado. Os consumidores precisam de conhecer esta ferramenta, útil e intuitiva, para escolher os seus eletrodomésticos de forma esclarecida e eficiente.

Controlar despesas? Siga esta cinco estratégias

Organizar o orçamento familiar e analisar as despesas com maior peso mensal são dois passos essenciais para planificar a sua vida financeira. Conheça algumas estratégias e ferramentas para fazer frente à atual “avalanche” de aumento de preços e proteger a sua carteira.

Sabe se vai compensar mudar para o mercado regulado do gás? A Deco lança calculadora

Com esta calculadora, pode introduzir a quantidade de gás natural que habitualmente consome, consultando a última fatura, e indicar o número de dias a que essa fatura se refere. Basta depois copiar os dados da fatura para a calculadora e obtém, de imediato, o custo que teria em igual consumo e igual período de faturação no mercado regulado a partir de outubro.
Comentários