Taxas Euribor sobem a três, seis e 12 meses

As taxas Euribor subiram esta segunda-feira a três, seis e 12 meses em relação a sexta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, subiu hoje 0,001 pontos para -0,309% e contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril de 2017.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, aumentou também 0,001 pontos para os -0,237%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,279%, registado pela primeira vez em 31 de janeiro de 2018.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, avançou também hoje 0,001 pontos, para -0,118%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,194%, atingido pela primeira vez em 18 de dezembro de 2017.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa segue sessão no ‘verde’ com apenas duas cotadas em terreno negativo

As principais bolsas europeias estão em terreno misto, com o DAX (Alemanha) a valorizar 0,79%, o CAC 40 (França) a ganhar 0,76% e o IBEX 35 (Espanha) a crescer 0,22%, enquanto o FTSE 100 (Reino Unido) desvaloriza 0,10%.

Bolsa de Lisboa abre em alta numa manhã positiva para os mercados europeus

O PSI iniciou a sessão desta terça-feira em terreno positivo, estando a ganhar 1,29% para 5.485,53 pontos numa manhã serena para a generalidade das praças europeias. A Greenvolt e a Altri estão em destaque esta manhã ao valorizarem, respetivamente, 1,77% para 8,61 euros e 2,42% para 5,12 euros. Ainda no mercado energético, a Energias de […]

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta terça-feira

Destaque do dia para a Rússia, que vai publicar os dados relativos à taxa de desemprego e outros indicadores macroeconómicos, numa altura em que o esforço bélico e o prolongamento das sanções começam a afundar a economia do país.
Comentários