Técnicos de reinserção e serviços prisionais iniciam hoje greve de três dias por melhores condições

A greve, convocada pelo Sindicato dos Técnicos da Direção-Geral da Reinserção e Serviços Prisionais (SindDGRSP), vai decorrer entre hoje e sexta-feira para os técnicos profissionais de reinserção social e no último dia para os restantes técnicos da DGRSP, num universo que abrange aproximadamente 1.000 trabalhadores.

Os trabalhadores das carreiras técnicas de Reinserção e Serviços Prisionais iniciam hoje uma greve de três dias em protesto contra a falta de revisão das carreiras, ausência de abertura de concursos de promoção e a escassez de recursos humanos.

A greve, convocada pelo Sindicato dos Técnicos da Direção-Geral da Reinserção e Serviços Prisionais (SindDGRSP), vai decorrer entre hoje e sexta-feira para os técnicos profissionais de reinserção social e no último dia para os restantes técnicos da DGRSP, num universo que abrange aproximadamente 1.000 trabalhadores.

O presidente do SindDGRSP, Miguel Gonçalves, disse à Lusa que as carreiras foram revistas em 2008, mas desde essa data os trabalhadores só receberam “promessas”, aludindo ainda à degradação das condições de vida destes profissionais.

Para o presidente do SinDGRSP, a expectativa dada pela tutela de abertura de concurso para recrutar uma centena de trabalhadores em 2023 não resolve os problemas do setor, face à não-atualização das carreiras e dos vencimentos.

“Essas pessoas ganhavam há cinco ou seis anos 200 euros acima do salário mínimo nacional. Como são carreiras não revistas, os auxiliares técnicos vão ganhar mais do que eles, portanto, não sei quem vai concorrer. Vão abrir o concurso para quê, se vão ganhar o salário mínimo e menos do que os vigilantes que estão lá a olhar para o exterior das instalações?”, questionou.

Segundo o sindicalista, com a greve, os centros educativos vão ter de ficar fechados, porque os serviços mínimos implicam isso: “não há visitas, não há contactos com as famílias”, acrescentando que esses efeitos podem alargar-se à monitorização das pessoas em vigilância eletrónica.

Recomendadas

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Jornada Mundial da Juventude. Patriarca defende equipamentos “dignos, económicos e capazes”

O cardeal-patriarca de Lisboa defendeu hoje que “é bom” tudo o que for feito para que os equipamentos da Jornada Mundial da Juventude “fiquem com dignidade e fiquem económicos e capazes” para o evento agendado para agosto em Lisboa.

JMJ. Trabalho “tem funcionado bem” com autarquias de Lisboa e Loures

O coordenador do grupo de projeto para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Lisboa assegurou hoje que o trabalho “tem funcionado bem” com os técnicos das autarquias da capital e Loures e “sempre em diálogo” com a Igreja.
Comentários