Tecnológicas dão e tiram num piscar de olhos

O principal destaque para a semana será a volatilidade.

Depois de na quinta-feira as tecnológicas terem registado um dia cheio de optimismo, derivado dos títulos da Netflix, na sexta-feira a fortuna inverteu-se com o pessimismo a contaminar as empresas ligadas à publicidade no mundo digital, como por exemplo a Facebook e Google, por causa dos indícios deixados pelo comportamento financeiro no trimestre de duas ligadas ao segmento de social media, Snap (detentora do Snapchat) e Twitter.

Não sendo algo surpreendente, desde logo porque são dois players de mercado que já não brilhavam financeiramente, serviu para relembrar aos investidores dos riscos presentes numa fase de desaceleração da economia.

Mas apesar do recuo na sexta-feira, o certo é que a semana acabou por ser bastante positiva para Wall Street, conseguindo quebrar o ciclo de consolidação que durou aproximadamente um mês após os mínimos terem sido estabelecidos em meados de Junho, o que deixou os índices norte-americanos numa posição mais confortável à entrada para uma das principais semanas do ano, não apenas porque a Reserva Federal dos EUA deverá subir os juros com um aumento muito agressivo de 0,75%, mas também por causa dos resultados que vão ser anunciados por alguns dos pesos pesados da tecnologia, mas que são igualmente barómetros do mercado, como Google e Apple.

E para já o optimismo está a prevalecer, nada de muito relevante, mas os futuros dos principais índices apontam para uma abertura em alta, algo que está a ser fomentado também pela valorização do EUR/USD que nesta segunda-feira se aproximou já dos máximos da semana passada, no entanto tem uma média móvel importante que precisa de quebrar para conseguir continuar a ganhar terreno, após meses de uma queda muito relevante que levou o principal par de moedas para a paridade.

Seja qual for o desfecho hoje, o principal destaque para a semana será a volatilidade, sendo de esperar que aumente substancialmente a partir de amanhã e tenha o seu pico na quinta ou sexta-feira.

 

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é de quatro horas.

O par de moedas encontrou resistência na média móvel dos 200 períodos (verde), tem novo patamar na linha laranja,

 

Recomendadas

Bolsa de Lisboa encerra ‘no verde’ numa Europa em terreno misto. Galp avança mais de 3%

No mercado petrolífero, o brent está a avançar 0,08% para os 96,82 dólares, mas o crude está a descer 0,19% para os 90,61 dólares.

Wall Street abre mista. Farmacêutica Novavax tomba mais de 20%

Os investidores aguardam novos dados sobre a inflação norte-americana, que serão divulgados amanhã. Nas empresas, a pouca procura por vacinas penaliza as produtoras. A Norwegian Cruise também cai devido a receitas e ocupação dos barcos abaixo do esperado.

Bolsa de Lisboa recupera e segue sessão no ‘verde’ com Altri a liderar ganhos

O preço do barril de petróleo está a valorizar, com o brent a ganhar 0,90% para os 97,52 dólares e o crude a desvalorizar 0,71% para os 91,40 dólares.
Comentários