Teerão reconhece pela primeira vez que forneceu drones a Moscovo

O chefe da diplomacia disse que a transferência surgiu antes da guerra da Rússia contra a Ucrânia, que viu os drones de fabrico iraniano a bombardear Kiev.

O chefe da diplomacia, Hossein Amirabdollahain, do Irão reconheceu hoje pela primeira vez que Teerão forneceu drones a Moscovo, insistindo que a transferência surgiu antes da guerra da Rússia contra a Ucrânia, que viu os drones de fabrico iraniano a bombardear Kiev.

Os comentários do ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Hossein Amirabdollahian, surgem depois de meses de mensagens confusas do Irão sobre o carregamento de armas, enquanto a Rússia envia os drones contra infraestruturas energéticas ucranianas e alvos civis.

“Demos um número limitado de drones à Rússia meses antes da guerra da Ucrânia”, disse Amirabdollahian aos jornalisyas em Teerão.

Anteriormente, funcionários iranianos tinham negado armar a Rússia para a guerra contra a Ucrânia.

No início desta semana, o embaixador do Irão na Organização das Nações Unidas (ONU), Amir Saeid Iravani, disse que as afirmações eram “totalmente infundadas” e reiterou a posição de neutralidade do Irão na guerra.

Os EUA e os seus aliados ocidentais no Conselho de Segurança apelaram ao secretário-geral, Antonio Guterres, para investigar se a Rússia utilizou drones iranianos para atacar civis na Ucrânia.

Mesmo assim, a Guarda Revolucionária paramilitar iraniana gabou-se vagamente de fornecer drones às principais potências mundiais. O líder Supremo Ayatollah Ali Khamenei elogiou a eficácia dos drones e ridicularizou o Ocidente, que referia seu perigo.

Durante as manifestações apoiadas pelo Estado para assinalar a tomada do poder da Embaixada dos EUA em 1979, na sexta-feira, multidões acenaram com cartazes dos drones em forma de triângulo como um ponto de orgulho nacional.

Ao reconhecer o carregamento, Amirabdollahian afirmou hoje que o Irão estava alheio à utilização dos seus drones na Ucrânia e disse que o Irão continuava empenhado em travar o conflito.

“Se [a Ucrânia] tem quaisquer documentos em sua posse que a Rússia utilizou drones iranianos na Ucrânia, eles devem-nos fornecer”, disse.

“Se nos for provado que a Rússia utilizou drones iranianos na guerra contra a Ucrânia, não ficaremos indiferentes a esta questão”, disse.

Recomendadas

Ucrânia. Fundadora de ONG Nobel da Paz 2022 quer Putin em tribunal por crimes de guerra

A representante de uma das organizações que receberam este ano o Prémio Nobel da Paz defendeu hoje que o Presidente russo, Vladimir Putin, enfrente um tribunal internacional como criminoso de guerra pelo “genocídio” na Ucrânia.

Navalny classifica de “vergonhosa” pena de oito anos de cadeia a opositor russo

A condenação hoje do opositor russo Ilya Yashin a oito anos e meio de prisão por criticar a ofensiva militar contra a Ucrânia é “um veredicto vergonhoso”, denunciou o também opositor Alexei Navalny.

Marcelo lembra que há vários focos de guerra e critica UE por ter estado em “autocontemplação”

O Presidente da República considerou hoje que a União Europeia esteve em “autocontemplação” e “continua a não saber encontrar maneira de se relacionar com África”, relembrando que, além da Ucrânia, há outros focos no mundo que ameaçam a paz.
Comentários