Teixeira Duarte passa de prejuízo a lucro de 3,6 milhões no primeiro semestre

A construtora Teixeira Duarte totalizou 3,6 milhões de euros de lucro no primeiro semestre, valor que compara com um prejuízo de aproximadamente 18,6 milhões de euros apurado em igual período do ano anterior, foi esta quinta-feira comunicado ao mercado.

Segundo a informação remetida à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), neste período, o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) da empresa avançou 68,3% para 43 milhões de euros.

Entre janeiro e junho, os rendimentos operacionais cresceram 38,3% para 429,4 milhões de euros.

Já os gastos operacionais ascenderam a 386,3 milhões de euros, traduzindo um aumento de 35,6%.

Na primeira metade do ano, os resultados financeiros da empresa foram negativos em 7,6 milhões de euros, quando em igual período do ano passado tinham sido negativos em 18,3 milhões de euros.

As vendas e prestações de serviços, por sua vez, subiram 48,3% para 383,4 milhões de euros.

“Em Portugal registou-se um aumento de 49,6% face ao mesmo período do ano passado. Sendo de assinalar que este indicador não expressa o bom desempenho do setor imobiliário do grupo neste período para o qual contribuíram rendimentos que não são relevados nas vendas e prestações de serviços”, detalhou.

A dívida financeira líquida situou-se nos 733,5 milhões de euros em 30 de junho de 2022, mais 15,09 milhões de euros face ao final do ano passado.

Recomendadas

Gonçalo Moura Martins defende que empresas portuguesas precisam de escala

O CEO da construtora falava num painel de empresários constituído por António Pires de Lima, CEO da Brisa, Jorge Rebelo de Almeida, presidente do Grupo Vila Galé, e Francisco Cary, administrador da Caixa Geral de Depósitos, sobre o atual contexto de crise.

Exportações portuguesas de metalurgia batem recorde mensal absoluto

As exportações portuguesas de metalurgia e metalomecânica atingiram em maio o recorde mensal absoluto de 2.135 milhões de euros, subindo 25% em termos homólogos e ultrapassando pela primeira vez os dois milhões, anunciou esta quinta-feira a associação setorial.

“Inflação é o grande desafio que se coloca ao setor da construção”, destaca CEO do Grupo CVM no “Conversas com Norte”

Severino Ponte, CEO do Grupo CVM, reconhece que a escalada dos preços dos materias de construção, acentuada pela guerra na Ucrânia, pode até colocar em causa a meta definida quanto à faturação que, para este ano, é de 32 milhões de euros. Ouça a entrevista de Nuno Braga, jornalista do JE, no podcast “Conversas com Norte”.
Comentários