Telemóvel: a carteira da atualidade?

Se estivesse a dever 1 euro de uma cerveja a um amigo, descarregaria uma aplicação para lhe transferir o dinheiro? ‘Apps’ de pagamentos como a Twyp e a Yaap Money abriram insolvência. Porquê?

Cristina Bernardo

A era da revolução digital chegou, mas há aplicações de pagamentos móveis que parecem não estar a conseguir marcar a sua presença num mercado cada vez mais competitivo. De acordo com vários especialistas, em causa está o “custo da mudança” (leia-se: o trabalho de fazer o download, criar a conta, associar o número de cartão de crédito e transferir o montante em dívida).

Para o diário “L’Expansión”, trata-se também de um problema de “economia de rede”, ou a procura nas economias de escala, cujo efeito do utilizador no serviço é crucial para a importância do produto para os outros. Por exemplo, o WhatsApp ou outras plataformas sociais, que só fazem sentido se vários contactos seus as tiverem.

Depressa se levantam questões sobre o retorno do investimento que é feito nestas aplicações, tendo em conta que são os amigos, os colegas e os familiares dos utilizadores que acabam por ditar o seu êxito. O jornal espanhol faz mesmo a pergunta: “É sempre eficaz a publicidade televisiva?”.

Apps de pagamentos sem saldo

A partir desta quinta-feira, dia 15, a aplicação Twyp vai deixar de operar na Holanda, segundo o anúncio feito pelo banco ING Direct. A instituição financeira explicou aos meios de comunicação social que os clientes holandeses não querem nem precisam de uma app para efetuar pagamentos aos mais oróximos.

Em junho deste ano, outro projeto com a mesma ótica viu os seus dias contados: o “Yaap Money”, uma parceria entre o Banco Santander, a empresa de telecomunicações Telefónica e o CaixaBank, iniciada em setembro de 2014. Conhecida como o “WhatsApp para enviar dinheiro”, a plataforma permitia que os indivíduos, de qualquer banco, transferissem dinheiro de um telemóvel para outro, de forma gratuita e imediata.

As promessas do setor

Em setembro de 2015, o PayPal Me nasceu também com o intuito de ser uma app para cobrar pequenas dívidas. O utilizador é ligado um sistema que vai, depois, ser associado ao email, mensagem, rede social, blog ou site e enviar o pedido do reembolso do dinheiro que amigos ou familiares lhe devem. Entre as aplicações que prometem continuar o sucesso estão a Petycas, Círculo, Verso e Bizum.

telemovel
Recomendadas

Talent Protocol compra empresa canadiana ligada à blockchain

A escolha recaiu sobre a Agora Labs, fundada por um grupo de quatro adolescentes. Matthew Espinoza (agora com 20 anos) e Freeman Zhang (de 19 anos) juntam-se à equipa da startup portuguesa dos ‘tokens’ para profissionais talentosos.

Networkme recebe um milhão de euros para expandir negócio na Península Ibérica

O financiamento foi liderado pela sociedade de capital de risco Big Sur Ventures, que conta com a participação do banco espanhol Bankinter, através da Fundação Inovação Bankinter.

Maioria dos diretores de tecnologia nacionais querem implementar novas formas de cortar custos energéticos

Metade (54%) dos decisores inquiridos referem que as impressoras a jato de tinta os ajudarão a atingir o objetivo de redução de despesas, de acordo com os dados de um estudo da tecnológica japonesa Epson divulgado esta quinta-feira.
Comentários