Tenista Rafael Nadal é o novo embaixador do Banco Santader

O Santander diz querer aliar “o espírito vencedor” do tenista espanhol de 33 anos aos objetivos de liderança do setor banca da instituição financeira.

Geoff Burke USA TODAY/Reuters

O tenista número um do ranking mundial ATP, Rafael Nadal, é o novo embaixador do Banco Santander, passando a partir de 2020 a representar o banco em campanhas publicitárias em Espanha e nos mercados onde a instituição liderada por Ana Botín tem operações, foi esta terça-feira anunciado.

“É um dos melhores atletas do mundo e o melhor atleta espanhol da história, mas também tem algo muito importante para mim: tem valores que partilhamos no Santander”, diz a presidente executiva do Banco Santander, Ana Botín, no vídeo de apresentação do novo rosto do banco espanhol que acompanha o comunicado enviado à redação.

O Santander quer aliar “o espírito vencedor” do tenista espanhol de 33 anos aos objetivos de liderança do setor banca da instituição financeira.

Nadal, por sua vez, assume estar “muito feliz” por “partilhar o espírito vencedor e o esforço diário” na prossecução de objetivos com o Santader.

Nadal é um dos tenistas mais conceituados dos últimos vinte anos. Tenista profissional desde 2001, Rafael nadal tem no seu palmarés 19 troféus Grand Slam (designação para os quatro maiores torneios do tenis mundial), cinco Taças Davis e uma medalha de ouro olímpica, conquistada nos Jogos de Pequim em 2008. O atleta espanhol foi também agraciado com o prémio honorífico Príncipe das Astúrias em 2008.

Antes de firmar este acordo para ser o embaixador do Santander, Nadal foi rosto das campanhas do extinto banco Banesco. Este banco foi extinto em 2013, sendo detido maioritariamente pelo Banco Santander.

Recomendadas

“Falar Direito”. “Renegociação? Medida deveria abranger outro tipo de créditos mais onerosos”

Na última edição do programa da plataforma multimédia JE TV, advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, considerou que o diploma referente à renegociação do crédito à habitação deveria ser mais abrangente, tendo em conta a contração de outros créditos mais onerosos.

Juro médio dos novos depósitos de particulares dispara em outubro para máximo de cinco anos

Segundo os dados divulgados hoje pelo Banco de Portugal (BdP), “em outubro o montante de novos depósitos a prazo de particulares foi de 4.726 milhões de euros, remunerados a uma taxa de juro média de 0,24%”.

PremiumBanca antevê dificuldades em identificar todos os clientes em 45 dias

Os bancos têm 45 dias para verificar se têm clientes do crédito à habitação que qualifiquem para efeitos da aplicação do diploma do Governo, mas o apuramento dos rendimentos reais é um obstáculo.
Comentários