Terceira dose da vacina contra a Covid-19 já foi administrada a 900 mil pessoas em Portugal

Já a vacina contra a gripe foi dada a 1,7 milhões de pessoas, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Portugal administrou a terceira dose da vacina contra a Covid-19 (reforço) a mais de 900 mil pessoas, revelou esta quinta-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS). Só ontem os centros de vacinação nacionais vacinaram 55.971 pessoas com a dose de reforço da vacina contra o vírus SARS-CoV-2.

Já a vacina contra a gripe foi administrada a cerca de 1,7 milhões, sendo que quase 410 mil em farmácias e 51.329 só esta quarta-feira (5.545 das quais em farmácias).

“As pessoas que foram inoculadas com a vacina da Janssen vão também poder receber a dose de reforço 90 dias após a administração da primeira dose, sendo que neste momento serão os utentes com mais de 50 anos a ser vacinados nos dias 5, 8, 12 e 19 de dezembro. Os restantes terão um calendário a apresentar posteriormente”, esclarece a DGS, em comunicado.

As autoridades de saúde lembram que está disponível a modalidade ‘Casa Aberta’ para as pessoas com 75 ou mais anos que tenham o esquema vacinal completo das anteriores, o agendamento local para utentes elegíveis, sendo dada prioridade às pessoas com mais idade), o autoagendamento para pessoas com 65 ou mais anos e a convocatória através de uma SMS para a toma em simultâneo dos dois tipos de vacinas.

Portugal registou hoje mais 3.150 casos positivos de Covid-19, totalizando 1.133.241 casos de infeção desde o início da pandemia no país. Mais 15 perderam a vida com esta doença, o que perfaz 18.385 óbitos, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da DGS.

Relacionadas

Mil milhões de doses de vacinas distribuídas até final da semana na UE

“Até ao final desta semana, a Europa terá entregado um milhar de milhão de doses aos Estados-membros”, disse Von der Leyen, apelando aos cidadãos que façam um reforço da imunização seis meses após a vacinação original, dado que “os reforços propiciam um maior grau de proteção” e irão prevenir hospitalizações e mortes.

Filiais estrangeiras pagaram mais 39,9% do que empresas nacionais em 2020

No mesmo período, a produtividade aparente do trabalho (medida pelo valor acrescentado bruto gerado por cada unidade de pessoal ao serviço) foi superior em 73,1% à observada nas sociedades nacionais, atingindo 42.225 euros.
Recomendadas

2022, ano de esperança: “recuperação criativa e comercial”

O que procura o consumidor num relógio? “Atualmente os clientes compram um relógio pela beleza da peça. Usam-no como uma joia e não como uma ferramenta”, diz Carlos Rosillo, CEO da Bell & Ross.

“Vamos manter a nossa presença no mercado e surpreender!”

A coleção de Natal que Eugénio Campos nos traz este ano é “acima de tudo, uma coleção com muita criatividade, inspirada na família e no sentimento, e pensada para que seja uma coleção de gerações”, garante o seu criador.

Joalharia, tradição, singularidade e mestria artesanal

As joias, testemunhos de ligação entre gerações, devem ser um legado de arte, de memórias e de valores. Fique a par das novidades de uma indústria pioneira na sustentabilidade.
Comentários