Terceira Intifada: dia 8 de dezembro será “um dia de ira”, avisa Hamas

O anúncio surge um dia depois do presidente norte-americano, Donald Trump, ter reconhecido a cidade de Jerusalém como a capital de Israel.

O líder político do Hamas, Ismail Haniyeh, reuniu-se esta quinta-feira com os palestinianos para iniciar os preparativos da nova Intifada, que deverá começar já esta sexta-feira. O anúncio surge um dia depois do presidente norte-americano, Donald Trump, ter reconhecido a cidade de Jerusalém como a capital de Israel.

“Amanhã, sexta-feira, 8 de dezembro, será um dia da ira e o começo de uma nova Intifada chamada Libertação de Jerusalém”, anunciou o líder da organização sunita. “Jerusalém está unida, não é oriental nem ocidental, e vai continuar a ser a capital da Palestina”.

Ismail Haniyeh indica que a decisão dos Estados Unidos, de se tornarem a primeira nação a reconhecer Jerusalém como capital de Israel, marca o “fim de uma fase política” e “significa um ponto de inflexão histórica para a causa palestiniana”. A tutela da cidade representa uma das questões mais problemáticas do conflito israelo-palestiniano, tendo em conta que alberga locais sagrados para muçulmanos, judeus e cristãos.

“Só podemos enfrentar a política sionista – apoiada pelos Estados Unidos – lançando uma nova Intifada”, reitera o líder do Hamas. “Donald Trump vai-se arrepender desta decisão”.

Recomendadas

Ameaça nuclear de Putin “deve ser levada a sério”, alerta analista

“Estamos a abordar uma situação considerada impensável. Uma nova realidade”, vincou Eugene Rumer, ex-oficial dos serviços de informações para a Rússia e Eurásia no Conselho de Inteligência Nacional dos Estados Unidos e diretor do programa Rússia e Eurásia do Carnegie Endowment Endowment for International Peace.

Eleições em São Tomé. Patrice Trovoada exorta primeiro-ministro a reconhecer a derrota

O presidente da Ação Democrática Independente (ADI), partido mais votado nas legislativas de São Tomé e Príncipe, exortou hoje o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, a reconhecer a derrota do MLSTP/PSD “o mais rapidamente possível” para apaziguar o clima social.

CPLP e comunidade da África Central negoceiam cooperação política e de formação em português

A Comunidade Económica dos Estados da África Central e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) discutiram hoje formas de cooperação no domínio político, desenvolvimento da língua portuguesa e comissões de observação eleitoral, referiram responsáveis das organizações.
Comentários