Teresa Damásio ao JE: “a formação profissional é um eixo central na reconstrução da Europa”

A administradora do grupo Ensinus volta a ser embaixadora da Semana Europeia da Formação Profissional 2020, que se realiza em novembro, em representação de Portugal.

“Na Europa pós-Covid, a formação profissional assume uma relevância muito grande, atendendo ao elevado número de desempregados e à reestruturação que se sentirá em todo o tecido empresarial mercê dos lay offs e dos novos empregos que vão surgir. Estamos a falar das economias de todos os estados membros atingidas por  uma disrupção em que há a necessidade de uma reorganização ao nível do capital humano – trabalhadores, empregadores, dos próprios sindicatos e associações patronais”. Quem o afirma ao Jornal Económico é Teresa Damásio, administradora do grupo Ensinus, que acaba de ser nomeada pela Comissão Europeia para Embaixadora da Semana Europeia da Formação Profissional 2020 em representação de Portugal.

A Semana Europeia da Formação Profissional terá lugar entre 9 a 13 de novembro na cidade de Berlim, no entanto todos os eventos serão excecionalmente em formato virtual devido à pandemia da Covid-19.

Teresa Damásio é nomeada pelo segundo ano consecutivo para liderar esta iniciativa, sendo a primeira vez que uma nomeação destas se repete. Entre as suas incumbências está a promoção do investimento no ensino profissionalizante durante o corrente ano a nível nacional e internacional, bem como a sua participação virtual em alguns eventos em toda a Europa.

“Há uma grande necessidade de nos reinventarmos e no meu entender, a formação profissional é o grande mote dessa reinvenção”, salienta, acrescentando que é preciso dotar o trabalhador de mais competências técnicas, enquanto pessoa e enquanto técnico, para enfrentar uma nova realidade que ninguém esperava. Neste plano de reconstrução, qual plano Marshall, mas desta feita um plano desenhado e financiado pelos europeus, com Bruxelas ao leme, a formação profissional, é sem dúvida um eixo central.

Com 19 instituições de ensino, das quais oito escolas profissionais, o grupo Ensinus, do qual Teresa Damásio é administradora, é o maior grupo de ensino privado em Portugal. O projeto de ensino vertical do grupo compreende unidades desde o pré-escolar ao ensino superior, integrando igualmente instituições centenárias como as Escolas de Comércio de Lisboa e do Porto, o INETE – Instituto de Educação Técnica, a EPAR – Escola Profissional Almirante Reis e a EPET – Escola Profissional de Estudos Técnicos. Presente em Moçambique com o IEG e o ISG, Ensinus tem em curso o reforço do processo de internacionalização. Só nos dois últimos anos abriu três novas instituições: uma em Cabo Verde de Ensino Profissional e duas na Guiné-Bissau, o IPT – Instituto das Profissões e Tecnologias, de Ensino Profissional e o ISG – Instituto Superior de Gestão e Administração Pública, de ensino superior.

 

 

 

Recomendadas

Três praias de Oeiras interditadas a banhos

As praias de Caxias, Santo Amaro de Oeiras e Paço de Arcos foram interditadas a banhos, desde sexta-feira, depois das análises à qualidade da água revelarem valores microbiológicos acima dos parâmetros de referência, revelou hoje a Autoridade Marítima Nacional.

António Almeida-Dias: “Ao contrário do ensino superior estatal, não pedimos dinheiro ao Governo”

Presidente da APESP defende que Portugal tem muito a ganhar com um ensino superior privado que usufrua da autonomia e liberdade consagradas na Constituição e que o Estado limita. O setor privado da economia já demonstrou ser o motor da inovação e do progresso, diz.

IPLeiria constrói cinco residências e renova sete num investimento de 25 milhões do PRR

Com este investimento, o Politécnico vai assegurar residências de estudantes em todas as cidades onde conta com oferta formativa, nomeadamente em Leiria, Caldas da Rainha, Peniche, Marinha Grande, Pombal e Torres Vedras.
Comentários