Tesla corta turnos na fábrica de Xangai

A entrada das novas contratações da fabricante automóvel para esta unidade de produção na China também foi adiada, segundo a Bloomberg.

3. Elon Musk

A partir da próxima segunda-feira, a Tesla vai reduzir os turnos de produção na sua fábrica de Xangai, noticia a agência “Bloomberg” esta quinta-feira, citando fontes conhecedoras do processo.

A decisão da fabricante automóvel implica que esta unidade fabril na China passe a operar durante dois turnos de nove horas e meia por dia, quando até agora eram dois turnos de 11 horas e meia.

Segundo a agência financeira, a implementação de turnos mais curtos resultará também num salário mais baixo para os técnicos de produção, além de sinalizar que a procura por carros elétricos da Tesla na China não está a responder às expectativas da empresa.

A mudança – que está programada para entrar em vigor no início da próxima semana, mas pode ter ajustes de última hora – não vem só. O processo de entrada e boas-vindas (onboarding) de algumas das novas contratações da Tesla foi suspenso, de acordo com outras fontes da “Bloomberg”.

Ou seja, equipas de produção que deveriam começar ao serviço em Xangai em novembro, incluindo nas oficinas de baterias e nas linhas de montagem de carros, foram informadas de que as suas datas de início de trabalho seriam adiadas. Empresas de recrutamento terão inclusive explicado às pessoas para se

começarem a preparar para entrar após o feriado do Ano Novo Chinês, no final de janeiro, porque neste preciso momento não havia necessidade de mais trabalhadores.

Em Wall Street, as ações da Tesla seguiam em contraciclo, com uma queda de 0,85% para 172,56 dólares, a menos de três horas do fecho da sessão bolsista norte-americana.

Recomendadas

Reditus volta a adiar a apresentação dos resultados de 2021

A empresa estima que “a publicação dos seus documentos de prestação de contas individuais e consolidadas de 2021 seja concretizada até ao dia 24 de fevereiro de 2023”.

Dinamarquesa Eurowind Energy investe mais de 400 milhões de euros em Portugal

A multinacional dinamarquesa Eurowind Energy, que inaugurou esta terça-feira o segundo parque solar de produção de eletricidade do país, quer investir até ao fim desta década mais de 400 milhões de euros em Portugal.

Oito empresas portuguesas no index de igualdade de género da Bloomberg

Em análise estiveram cinco aspetos, desde a capacidade de liderança de talentos até às medidas contra o assédio sexual em ambiente profissional.
Comentários