“Theresa, faça favor de sair”. Brexit senta-se à mesa do Conselho Europeu

Chefes de Governo e de Estado da UE reúnem-se em Bruxelas no habitual encontro pré-natalício mas às 19h30, a chefe de Governo britânica será convidada a sair.

Esta reunião do Conselho Europeu será atípica por dois motivos: vai durar apenas um dia, ao contrário dos tradicionais dois dias de reunião e às 19h30 terá início um jantar no qual Theresa May, primeira-ministra britânica, será convidada a sair para que os 28 passem a 27 e aí, vão discutir o Brexit.

Quem está à espera de grandes decisões ou novas exigências, vai ficar desiludido. O gesto que acontecerá hoje em Bruxelas é, acima de tudo, simbólico. O jantar a 27 é um gesto em si, especialmente depois de na última reunião europeia, celebrada em outubro, May ter dito aos seus parceiros que seria difícil que o Reino Unido acabe por aceitar situações que sejam discutidas apenas a 27. Tusk respondeu a May que teria de se acostumar e o gesto de hoje é sintomático.

Mas o convite à saída não será o único gesto. No comunicado posterior ao jantar, os 27 deixarão claro que têm pressa para começar a negociar – “vão comprometer-se a aprovar o início das negociações rapidamente”, segundo uma fonte comunitária – mas também irão enfatizar que cabe ao Reino Unido dar o primeiro passo.

 

Recomendadas

Adjudicados últimos seis lotes do concurso para fornecimento de serviços à rede SIRESP

O concurso para fornecimento de serviços à rede de emergência SIRESP foi concluído na segunda-feira, antes do prazo, com a adjudicação dos restantes seis lotes, anunciou hoje a empresa que gere o sistema.

Há um “caminho longo” a percorrer no envelhecimento ativo, diz a ministra da Coesão Territorial

“Sabemos hoje mais sobre as maleitas dos mais velhos e sabemos como as evitar”, sublinhou Ana Abrunhosa, reiterando que “todos queremos envelhecer com qualidade”.

Apoio às famílias pode mitigar desaceleração da economia, prevê Fórum para a Competitividade

O pacote de apoios preparado pelo Governo como resposta à inflação pode mitigar a desaceleração da economia, mas o próximo ano apresenta-se repleto de riscos de desafios. Salários reais devem voltar a cair, prevê o Fórum para a Competitividade.
Comentários