TI. Gestores portugueses são os mais pressionados da Europa

A edição de 2015 do Claranet Research Report revela o estado da inovação das empresas em 6 países europeus, entre eles Portugal e mostra que os departamentos de TI das empresas portuguesas são os mais pressionados da Europa e que dedicam apenas nove minutos por dia à inovação. A pedido da Claranet, a consultora independente […]

A edição de 2015 do Claranet Research Report revela o estado da inovação das empresas em 6 países europeus, entre eles Portugal e mostra que os departamentos de TI das empresas portuguesas são os mais pressionados da Europa e que dedicam apenas nove minutos por dia à inovação.

A pedido da Claranet, a consultora independente Vanson Bourne efetuou um estudo que revela o estado atual das TI nas principais empresas de toda a Europa. O Claranet Research Report 2015, estudo publicado recentemente, aprofunda temas como a inovação, as aplicações e as relações que as principais empresas de países como a Alemanha, Benelux, Espanha, França, Portugal e Reino Unido, mantêm com os seus fornecedores de serviços de TI.

Segundo o relatório, os departamentos TI portugueses são os mais pressionados da Europa, contrastando bastante com a realidade dos restantes países europeus. O estudo chega também à conclusão de que os orçamentos TI das empresas portuguesas caíram bastante durante este ano, cenário que deverá prolongar-se durante o próximo ano. As implicações são claras, com a inovação a ser sacrificada em prol de garantir os serviços mínimos do departamento. Os departamentos TI em Portugal dedicam apenas 9 minutos por dia à inovação, uma vez que a maior parte do seu tempo é dedicado a tarefas de gestão administrativa e trabalho reativo.

Ao entrevistar cerca de 900 responsáveis de TI europeus, o Claranet Research Report mostra em que países se investe mais tempo em inovação, qual o nível de conhecimento que as empresas têm sobre o papel dos seus departamentos de TI e como aumentaram os seus orçamentos no último ano, entre outros dados interessantes, como:

– 74% das empresas portuguesas contam já com uma estratégia digital;

– 84% das empresas na Europa, preveem uma mudança radical nas TI durante os próximos dois anos;

– No ano passado, cerca de 75% das empresas aumentou o seu orçamento de TI;

– Os departamentos TI das empresas portuguesas são os mais pressionados, entre os países examinados;

– Em 2020, o desenvolvimento de aplicações in-house, diminuirá cerca de 30%;

– 61% dos responsáveis de TI, irá contar com o apoio dos fornecedores de TI para o desenho e implementação de soluções flexíveis para o seu negócio.

OJE

Recomendadas

Banco de Fomento lança consulta pública para dois novos Programas de co-investimento em PME

Estando ainda disponível o montante de 475 milhões de euros para lançar novos Programas, “o BPF convida as empresas e todos os interessados a participar na consulta pública acerca de futuras soluções de capital e quase capital, com o objetivo de obter contributos sobre as condições de dois Instrumentos Financeiros pré-estruturados destinados a fomentar a constituição de empresas e/ou capitalização empresarial”, revela o banco liderado por Ana Carvalho.

Premium“Somos a ótica das pessoas e que traz o know how francês”, diz CEO do grupo MonOpticien

Em entrevista ao JE, o CEO do grupo MonOpticien, Florent Carriére, explica o modelo de subscrição que traz para Portugal. “O meu concorrente não é a Multióticas, é a a Netflix e o Spotify”, sublinha.

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.