Tiago Quintas: “Temos registado crescimentos próximos dos 100%”

Os parceiros da Glovo também duplicaram, no último ano, e são agora mais de 10 mil em Portugal, segundo o responsável pelo norte do país e expansão da marca numa entrevista conduzida pelo jornalista do JE, Nuno Braga.

A Glovo, startup espanhola que desenvolveu uma aplicação de entregas ao domicílio, registou uma forte expansão em Portugal com números que se aproximam dos três dígitos.

Esse crescimento, impulsionado pelo período pandémico, verificou-se não só na área da restauração como também nas restantes vertentes do negócio da empresa, como sublinhou Tiago Quintas, o responsável da região Norte da Glovo Portugal, em entrevista ao Jornal Económico.

Este responsável lembrou ainda que, quando em 2017 a marca entrou no mercado nacional, tinha uma pequena equipa de quatro pessoas, com 30 parceiros, numa única cidade. São agora mais de 10 mil os parceiros em mais de 150 localidades.

Ouça a entrevista conduzida pelo jornalista Nuno Braga a Tiago Quintas, o responsável pela expansão da marca no norte do país.

Recomendadas

PremiumOCDE deixa quatro recados a Portugal, do PRR ao orçamento

A OCDE está menos otimista do que estava no verão quanto à evolução da economia portuguesa no próximo ano, tendo revisto em baixa a previsão de crescimento do PIB. Aproveitou também para alertar para a importância do PRR e da consolidação orçamental.

OE2022: Segurança Social regista excedente de 3.358 milhões de euros até outubro

A receita da Segurança Social aumentou em 9,1% e atingiu os 28.387,7 milhões de euros até outubro, enquanto a despesa caiu 0,5% para 25.030,1 milhões de euros, de acordo com a síntese divulgada hoje pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.
Comentários