“Todo o cuidado é pouco e nenhum sacrifício é demais”, diz PS sobre prolongar estado de emergência

“Infelizmente vamos continuar a precisar de medidas de contenção que contribuam de forma muito efetiva para evitar a propagação da covid-19 apesar de se registarem resultados positivos”, referiu Constança Urbano de Sousa.

Tiago Petinga/LUSA

A deputada do PS Constança Urbano de Sousa anunciou, na Assembleia da República, que o partido vai votar a favor do Estado de Emergência e sublinhou que todos os cuidados são poucos quando se fala em travar a pandemia.

“Todo o cuidado é pouco e nenhum sacrifício é demais quando está em jogo a vida das pessoas”, explicou Constança Urbano de Sousa garantindo que “este vírus alimenta-se do nosso comportamento”.

A socialista frisou ser preciso manter as normas de segurança, sendo que a pandemia ainda não está controlada. “Infelizmente vamos continuar a precisar de medidas de contenção que contribuam de forma muito efetiva para evitar a propagação da Covid-19 apesar de se registarem resultados positivos e hoje a vacina está muito mais próxima do que estava ontem a verdade é que a situação pandémica continua a ser muito grave, não apenas em Portugal, mas em todos os países europeus”, assegurou.

Constança Urbano de Sousa destacou que “um pouco por toda a europa assistimos ao endurecimento generalizado das medidas” e salientou que as regras adotadas em Portugal têm sido “muito menos restritivas do que em outros países europeus” estando caracterizadas por “confinamentos generalizados, totais ou quase totais”.

A deputada socialista, que considera a extensão do estado de emergência uma “manifestação do seu elevado sentido de responsabilidade”, enalteceu ainda que “a luta contra a pandemia convoca-nos a todos” e que é “nossa própria responsabilidade adequar o nosso comportamento individual”.

Recomendadas

PR nos EUA: Marcelo chegou a San Diego onde não ia um Presidente português há 33 anos

“Há 30 anos que não vinha cá um Presidente, 33 anos, é uma conta certa, é capicua”, assinalou Marcelo Rebelo de Sousa à chega a San Diego.

PS acusa PSD de “cortejar” um partido de extrema-direita

“O PSD fez um apelo à votação num vice-presidente à Assembleia da República num partido de extrema-direita. Não podemos deixar passar em branco”, realçou João Torres, referindo-se ao apelo que o partido laranja fez em relação ao “vice” do Parlamento do Chega.

Cotrim Figueiredo acusa PS e PSD de tomarem conta do aparelho do Estado

O líder do Iniciativa Liberal acusou o PS e o PSD de serem “dois partidos que se acham donos do sistema, que tomaram conta do aparelho do Estado e que acham que podem tomar estas decisões sozinhos”, referindo-se à discussão em torno do novo aeroporto.
Comentários