Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e economia esta semana

A inflação dominará a semana, com confirmações em Portugal, zona euro e outras das principais economias europeias, além das divulgações no Reino Unido e nos EUA.

Segunda-feira, 12 de setembro

Evento em destaque: INE confirma dados da inflação em agosto

A inflação continua a ser o tópico do dia nas economias ocidentais e a semana será rica em divulgações do índice de preços, arrancando com a confirmação dos valores nacionais em agosto. A leitura rápida do final do mês passado apontou para uma ligeira redução em termos homólogos, de 9,1% em julho para 9,0%, e em cadeia, ficando 0,3% abaixo do mês anterior, o que coloca novamente a economia portuguesa em contraciclo com a europeia, onde os preços voltaram a acelerar em agosto.

Outros eventos em foco:

  • INE publica Índices de Produção, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Construção em julho
  • Reino Unido: PIB em julho
  • Reino Unido: Produção industrial em julho
  • Reino Unido: Balança comercial em julho

Terça-feira, 13 de setembro

Evento em destaque: EUA divulgam taxa de inflação em agosto

Com um fenómeno nos preços mais motivado por uma procura acima do esperado e uma incapacidade de resposta do lado da oferta, a Reserva Federal estará muito atenta, tal como os mercados, aos dados da próxima terça-feira quanto à inflação em agosto nos EUA. Julho mostrou já um abrandamento no indicador, surpreendendo analistas e investidores, e a expectativa para agosto é de nova queda em cadeia e em termos homólogos, com o consenso do mercado a apontar para 8,1% de variação.

Outros eventos em foco:

  • INE publica dados de Construção: Obras Licenciadas e Concluídas no 2º Trimestre
  • Espanha: Inflação em agosto
  • Alemanha: Inflação em agosto
  • Reino Unido: Taxa de desemprego em julho
  • Instituto ZEW publica índices de confiança para setembro
  • Relatório mensal da OPEP+

Quarta-feira, 14 de setembro

Evento em destaque: Reino Unido publica inflação de agosto

A morte da monarca há mais tempo no trono no mundo tomará as atenções mediáticas no Reino Unido, mas a semana será também rica em indicadores macro, numa altura em que o país enfrenta uma difícil situação económica e alguma incerteza política, dada a nomeação recente de Liz Truss como primeira-ministra. Além da inflação na quarta-feira, a semana arranca com os dados do PIB em julho na segunda-feira, bem como da balança comercial, além de dados sobre o mercado de trabalho, construção e habitação.

Outros eventos em foco:

  • INE divulga dados da Atividade Turística em julho
  • Eurostat publica Índice de Produção Industrial em julho
  • Audição da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social na Comissão de Trabalho, Segurança Social e Inclusão
  • Audição ao IAPMEI na Subcomissão para o Acompanhamento dos Fundos Europeus e do PRR
  • EUA: Preços na produção industrial em agosto

Quinta-feira, 15 de setembro

Evento em destaque: Eurostat divulga índice de custos de trabalho no segundo trimestre

A inflação continua a subir na zona euro e igualmente preocupante é a subida do indicador subjacente, que ignora a volatilidade das categorias energética e alimentar. Este subindicador chegou aos 4,3% e adensa as preocupações com o alastramento das pressões nos preços a outros sectores, o que pode gerar efeitos de segunda ordem na inflação, à semelhança do que sucede com os salários. O BCE estará atento à evolução salarial na zona euro, onde, ainda assim, não parece haver por enquanto uma atmosfera de pressão inflacionista.

Outros eventos em foco:

  • Eurostat publica dados do Comércio Internacional em julho
  • França: Inflação em agosto
  • EUA: Vendas a retalho em agosto

Sexta-feira, 16 de setembro

Evento em destaque: China divulga produção industrial em agosto

A economia chinesa segue num ciclo oposto ao das economias ocidentais, dado o peso dos confinamentos no início do ano, que deprimiram a sua produção industrial e exportações. Com um crescimento anémico em perspetiva e uma possível crise imobiliária a pairar no horizonte, os dados de agosto sobre a produção industrial poderão dar alguma clareza ao rumo da segunda maior economia mundial.

Outros eventos em foco:

  • Eurostat confirma inflação da zona euro em agosto
  • Reino Unido: Vendas a retalho em agosto
Recomendadas

Wall Street fecha com perdas à espera de novos dados do emprego norte-americano

Os três principais índices encerraram as negociações a encarnado. O Twitter ainda arrancou a sessão a subir, mas as ações da rede social acabaram por desvalorizar mais de 3% na sequência de Elon Musk, dono da Tesla que quer comprar a empresa, ter perdido os parceiros de investimento (Apollo Global Management e Sixth Street Partners) no negócio.

Diretora do FMI avisa que situação económica “ainda vai piorar antes de melhorar”

“A incerteza é muito elevada”, referiu Kristalina Georgieva, destacando os efeitos da guerra, apontando que pandemia que “ainda não desapareceu” e acrescentando também que “os riscos em torno da estabilidade financeira estão a crescer”.

PSI fecha em queda em linha com Europa. EDPs lideram perdas

As bolsas europeias encerraram na sua globalidade em baixa. Já o petróleo está em rota ascendente depois de a OPEP+ ter anunciado um corte agressivo na produção. Por sua vez as ‘yields’ da dívida a 10 anos estão em alta.
Comentários