Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quinta-feira

O Banco de Inglaterra reúne para decidir quanto aos juros diretores, sendo esperada nova subida, desta feita de 75 pontos, um novo recorde desde 1989 mas abaixo dos 100 p.b. projetados aquando da apresentação do miniorçamento de Truss. Por Lisboa, o Jornal Económico acompanha a Web Summit.

Toby Melville / Reuters

Evento em destaque: Reunião de política monetária do Banco de Inglaterra

O adiamento da apresentação do orçamento do novo chanceler do Tesouro britânico, Jeremy Hunt, voltou a perturbar os mercados, embora de forma não comparável ao que sucedeu com o seu antecessor, e dificulta o exercício de previsões macro do Banco de Inglaterra, visto apenas ser anunciado a 17 de novembro. Ainda assim, o banco central reúne na quinta-feira para decidir quanto aos juros diretores, sendo esperada nova subida, desta feita de 75 pontos, um novo recorde desde 1989 mas abaixo dos 100 p.b. projetados aquando da apresentação do miniorçamento de Truss.

Outros eventos em foco:

  • BdP: Taxa de Juro e Montantes Novos Empréstimos em setembro
  • BCE: Taxa de Juro e Montantes Novos Empréstimos na zona euro em setembro
  • Eurostat: Taxa de Desemprego de setembro
  • Espanha: Taxa de desemprego em setembro
  • Ministro do Ambiente vai à Comissão de Ambiente e Energia a pedido do PSD
  • Lagarde discursa na Conferência Económica do Banco da Lituânia
  • Resultados trimestrais: CTT (Portugal); BNP Paribas (França)
Recomendadas

Foram criadas quase tantas empresas este ano como em 2019

Os primeiros 11 meses de 2022 ficaram marcados por um crescimento do número de novas empresas e por um recuo das insolvências. Isto apesar da incerteza e da subida dos custos, que acabou por ser agravada pela guerra na Ucrânia.

Economia portuguesa abranda, mas cresce mais do que a média europeia

A economia portuguesa cresceu 4,9%, no terceiro trimestre, abrandando em comparação com a variação registado nos três meses anteriores. Ainda assim, Portugal conseguiu crescer mais do que a média da UE e da zona euro.

Preço das casas para arrendar em Portugal subiu 2,9% em novembro

No final do mês de novembro, arrendar casa tinha um custo de 12,5 euros por metro quadrado.
Comentários