Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quinta-feira

Depois do caos causado pelo mini-orçamento de Kwasi Kwarteng e Liz Truss, o novo chanceler do Tesouro britânico, Jeremy Hunt, reverteu já os cortes fiscais decretados pelo seu sucessor e anunciou mesmo subidas de impostos com vista a arrecadar 60 mil milhões de libras (68,42 mil milhões de euros).

Jeremy Hunt

Evento em destaque: Tesouro britânico apresenta proposta de Orçamento do Estado

Depois do caos causado pelo mini-orçamento de Kwasi Kwarteng e Liz Truss, o novo chanceler do Tesouro britânico, Jeremy Hunt, reverteu já os cortes fiscais decretados pelo seu sucessor e anunciou mesmo subidas de impostos com vista a arrecadar 60 mil milhões de libras (68,42 mil milhões de euros). Os mercados acalmaram desde o turbilhão de outubro, mas as perspetivas continuam severamente negativas, com o país a preparar-se para uma recessão que pode durar mais de dois anos. A semana verá ainda dados da inflação e emprego.

Outros eventos em foco:

  • INE: Índices de Preços na Produção Industrial em outubro
  • BdP: Indicadores Coincidentes de outubro
  • Eurostat confirma inflação de outubro
Recomendadas

Desemprego estabiliza nos 6,1%, mas população empregada recua

A taxa de desemprego manteve-se em 6,1% em outubro, mas a população empregada diminuiu, tendo aumentado a subutilização do trabalho.

Portal das Finanças está ”temporariamente indisponível”, diz Autoridade Tributária

Em causa está um erro no Portal das Finanças que está a assombrar esta plataforma, impedindo os contribuintes de aceder ao site, não estando também a conseguir validar faturas.

Taxa de inflação anual na zona euro abranda para 10% em novembro

De acordo com a estimativa do Eurostat, a energia é a componente que apresenta a mais alta taxa de inflação homóloga (34,9%, em baixa face a 41,5% de outubro), seguindo-se a alimentação, álcool e tabaco (13,6%, que se compara com 13,1% do mês anterior), os bens industriais não energéticos (que se manteve estável nos 6,1%) e os serviços (4,2%, face a 4,3%).
Comentários