Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta terça-feira

Destaque esta terça-feira para a divulgação da taxa de inflação em agosto nos Estados Unidos, com os mercados e o Fed muito atentos ao fenómeno como indicador de possível recessão à porta no futuro.

Evento em destaque: EUA divulgam taxa de inflação em agosto

Com um fenómeno nos preços mais motivado por uma procura acima do esperado e uma incapacidade de resposta do lado da oferta, a Reserva Federal estará muito atenta, tal como os mercados, aos dados desta terça-feira quanto à inflação em agosto nos EUA. Julho mostrou já um abrandamento no indicador, surpreendendo analistas e investidores, e a expectativa para agosto é de nova queda em cadeia e em termos homólogos, com o consenso do mercado a apontar para 8,1% de variação.

Outros eventos em foco:

  • INE publica dados de Construção: Obras Licenciadas e Concluídas no 2º Trimestre
  • Espanha: Inflação em agosto
  • Alemanha: Inflação em agosto
  • Reino Unido: Taxa de desemprego em julho
  • Instituto ZEW publica índices de confiança para setembro
  • Relatório mensal da OPEP+
Recomendadas

OE2023. Maioria dos empresários defende mexidas no IRS

Inquérito da consultora EY conclui que mais de 90% dos empresários defende alterações no IRS para mitigar efeitos da inflação – essencial para suportar o consumo privado. Empresas continuam a dar nota negativa ao sistema fiscal português e face à crise energética sinalizam como medidas prioritárias a descida do IRC e do IVA sobre todos os escalões de consumo de eletricidade consideradas.

OE2023: Conselho de Ministros extraordinário discute documento na terça-feira

O Governo discute em Conselho de Ministros extraordinário na terça-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2023, numa reunião que marca o começo do processo de aprovação do documento, que é entregue ao parlamento na segunda-feira.

Mercado Automóvel em Portugal cai 34,7% até setembro

Apesar do mercado automóvel ter caído entre janeiro e setembro, foram matriculados mais 12,8% automóveis no mês passado do que em período homólogo de 2021.
Comentários