Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta terça-feira

A economia chinesa tem-se visto em cada vez mais apuros, precipitando mesmo o governo local a abandonar grande parte das restrições pandémicas e reabrir o país, apesar do peso que a doença está já a criar nos cuidados de saúde. A Europa e os EUA rejubilaram com as notícias, sedentos de maior procura global para fazer face à quebra interna, mas uma crise imobiliária e a incerteza da pandemia tornam as perspetivas cinzentas.

Evento em destaque: Dados do crescimento na China no 4º trimestre

A economia chinesa tem-se visto em cada vez mais apuros, precipitando mesmo o governo local a abandonar grande parte das restrições pandémicas e reabrir o país, apesar do peso que a doença está já a criar nos cuidados de saúde. A Europa e os EUA rejubilaram com as notícias, sedentos de maior procura global para fazer face à quebra interna, mas uma crise imobiliária e a incerteza da pandemia tornam as perspetivas cinzentas.

Outros eventos em foco:

  • INE: Índices de Preços na Produção Industrial de dezembro;
  • Audição do Tribunal de Contas na Comissão de Orçamento e Finanças;
  • Reino Unido: Desemprego no 3º trimestre;
  • Alemanha: Inflação em dezembro;
  • Índice ZEW de confiança económica para Alemanha e zona euro;
  • Canadá: Inflação em dezembro;
  • Relatório mensal OPEP;
  • Resultados: Goldman Sachs, JPMorgan Chase (EUA)
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Salários reais aumentam na OCDE, mas continuam a cair em Portugal

Os rendimentos reais das famílias portuguesas encolheram mais de 3% no terceiro trimestre, enquanto na OCDE aumentaram pela primeira vez em mais de um ano.

Taxa de desemprego recua para mínimos de 2011

Taxa de desemprego fixou-se em 6% em 2022, acima dos 5,6% estimados pelo Governo.
Comentários