Trabalhadores da Águas de Portugal em greve no dia 30 de junho

Os trabalhadores do Grupo Águas de Portugal (AdP) vão fazer uma greve de 24 horas no próximo dia 30, com o objetivo de reivindicar aumentos salariais e um novo regime de carreiras, categorias profissionais e funções, foi anunciado esta terça-feira.

Os trabalhadores do Grupo Águas de Portugal (AdP) vão fazer uma greve de 24 horas no próximo dia 30, com o objetivo de reivindicar aumentos salariais e um novo regime de carreiras, categorias profissionais e funções, foi anunciado esta terça-feira.

Em comunicado, as estruturas sindicais afirmam que decidiram avançar para a greve “perante a posição adotada pela Comissão Negociadora da AdP que, não apenas continua a ignorar as propostas apresentadas pelo STAL [Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional] e Fiequimental [federação intersindical das indústrias], como recuou no processo negocial em curso, retirando o que estava a ser negociado, o que é inaceitável e revelador de má-fé negocial”.

As propostas apresentadas, dizem as duas estruturas sindicais, “valorizam o esforço e o empenho dos trabalhadores, que prestam um serviço de excelência num Grupo que registou mais de 415 milhões de euros de lucros (entre 2018 e 2021), mas que insiste em praticar uma política de estagnação salarial”.

A greve tem como objetivo “lutar pelo aumento dos salários em 90 euros; o aumento extraordinário do salário, fixando-se nos 804 euros a partir de julho; e um salário mínimo de 850 euros em 2023 no Grupo AdP”.

Visa igualmente reivindicar o direito de contratação coletiva, um novo regime de carreiras, categorias profissionais e funções, “que valorize e reconheça a experiência profissional e o empenho dos trabalhadores”, a “urgente” regulamentação e atribuição de um suplemento de penosidade, insalubridade e risco”.

Entre os objetivos da greve está também a luta pela “estabilidade do emprego, pondo fim ao trabalho precário no grupo”, bem como a aplicação do Acordo de Empresa da EPAL a todos os trabalhadores ao serviço desta empresa e um período de trabalho de sete horas diárias e 35 horas semanais no Grupo AdP.

Recomendadas

Afinal, que soluções existem para as empresas?

O Banco Português de Fomento lançou no início do ano os dois primeiros programas para apoiar a solvabilidade do tecido empresarial português. A banca está focada em aconselhar e montar as operações.

Presidente da Ryanair antecipa subida de preços nas ‘low-cost’

Michael O’Leary diz que o preço médio por bilhete deverá subir entre 10 a 20 euros nas viagens low-cost, que estão a tornar-se, segundo o mesmo, “demasiado baratas”.

Candidaturas selecionadas para o Consolidar conhecidas em julho

Os programas Recapitalização Estratégica e Consolidar têm gerado grande interesse, diz a presidente da comissão executiva do Banco Português de Fomento, Beatriz Freitas, ao Jornal Económico.
Comentários