Trabalhadores da PT convidados a rescindir

Os sindicatos dos Trabalhadores do Grupo Portugal Telecom (STPT) e Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual (SINTTAV) denunciaram que os funcionários da operadora “estão a ser convidados a negociar a rescisão” do contrato de trabalho. Num comunicado conjunto, as duas estruturas sindicais manifestam-se “em total desacordo com a posição da empresa e exigem que […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Os sindicatos dos Trabalhadores do Grupo Portugal Telecom (STPT) e Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual (SINTTAV) denunciaram que os funcionários da operadora “estão a ser convidados a negociar a rescisão” do contrato de trabalho.

Num comunicado conjunto, as duas estruturas sindicais manifestam-se “em total desacordo com a posição da empresa e exigem que os trabalhadores sejam colocados noutras empresas do grupo e, se necessário, lhes seja ministrada formação específica para novas funções”, adiantando que esta posição “está já apresentada à gestão da empresa”.

Os sindicatos, que se reuniram no passado dia 29 de outubro, apontam que no encontro ficou decidido “elaborar um abaixo-assinado a enviar ao presidente [da PT Portugal] Armando Almeida, depois de assinada pelos trabalhadores da PT – ACS” e que será agendada uma reunião para a próxima semana.

O convite aos trabalhadores para rescindirem, adiantam os sindicatos, “está a mexer com a vida profissional, pessoal e familiar” dos funcionários, “provocando no seio dos mesmos intranquilidade, insegurança e nalguns casos desespero e mesmo revolta”.

Para as estruturas sindicais, os trabalhadores da PT “não podem ser tratados como ‘descartados’, porquanto têm capacidade intelectual para receber formação e assumirem novas funções”.

Recomendadas

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Veja o “Falar Direito”

Nesta edição, que conta com a presença do advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, tentamos perceber o que muda com este diploma para consumidores e banca, numa entrevista conduzida pela jornalista Mariana Bandeira.

Estudo descarta ligação direta do metrobus à Mealhada

Um estudo encomendado pela Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra para a expansão do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) descarta a ligação direta à Mealhada, por não conseguir competir com a ferrovia.

Spotify lança podcasts em vídeo a nível global

The Big Ones destaca semanalmente as inovações e movimentos estratégicos das empresas que lideram a nova economia.