Três dias após a morte de Fidel, arrancam os voos regulares entre EUA e Havana

Os primeiros voos comerciais regulares entre aeroportos norte-americanos e Havana descolam hoje, após mais de 50 anos de interrupção, um momento histórico que terá lugar, por um acaso no calendário, três dias depois da morte de Fidel Castro.

A 31 de agosto, a companhia JetBlue inaugurou o primeiro voo comercial regular desde 1961 entre um aeroporto dos Estados Unidos da América – Fort Lauderdale, na Florida (sudeste) – e uma cidade cubana – Santa Clara, no centro da ilha.

Desde então, várias companhias seguiram o exemplo, com voos regulares entre os EUA e diferentes cidades cubanas, mas Havana ainda não estava contemplada.

O voo da American Airlines deve partir hoje às 07:30 locais (12:30 GMT) de Miami para o aeroporto internacional José Marti de Havana.

“Tornamo-nos na primeira companhia aérea americana a propor um serviço regular com a capital cubana desde há mais de 50 anos”, disse à agência AFP Martha Pantin, porta-voz da American Airlines.

A partir de quarta-feira, a American Airlines vai ligar Havana e Miami, a “capital” do exílio cubano nos Estados Unidos, quatro vezes por dia. Outro voo diário parte de Charlotte, na Carolina do Norte, no sudeste dos Estados Unidos.

Também hoje, a JetBlue vai inaugurar a sua ligação direta entre Nova Iorque (nordeste dos Estados Unidos) e Havana às 08:58 locais (13:58 GMT).

Até ao fim do ano, 110 voos diários diretos vão ligar Cuba e os Estados Unidos, dos quais 20 aterram em Havana.

Por coincidência, estes voos são inaugurados três dias depois da morte, aos 90 anos, do líder histórico Fidel Castro, pai da revolução cubana, que ‘enfrentou’ dez presidentes norte-americanos.

Recomendadas

Crise/Inflação: Casais podem receber 125 euros pelo IBAN do reembolso do IRS

O apoio de 125 euros é individual, mas os casais que entreguem o IRS em conjunto e só tenham o IBAN do reembolso deste imposto confirmado nas Finanças recebem o apoio nessa conta bancária, esclareceu hoje fonte oficial.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.

Premium“Dá-se quase uma medalha a quem consegue fugir aos impostos”, diz presidente da APIT

O presidente da APIT salienta que Portugal está a braços com a economia informal e que são precisas políticas de cidadania na área.
Comentários