“Três Mil Anos de desejo”, o novo filme de George Miller já tem estreia marcada em Portugal

O realizador australiano, quiçá mais conhecido pela saga “Mad Max”, regressa ao grande ecrã com uma história sobre os mistérios do amor, que oscila entre ficção e realidade. Para ver nos cinemas a 8 de setembro.

© Elise Lockwood

A estreia mundial de “Três Mil Anos de Desejo”, o novo filme de George Miller, teve lugar na 75ª edição do Festival de Cinema de Cannes, em maio deste ano. Inspirado na obra “The Djinn in the Nightingale’s Eye”, da escritora britânica A.S. Byatt, é uma história com muitas histórias dentro, um pouco à imagem do clássico da literatura que ficou conhecido como as “Mil e Uma Noites”.

Com estreia nas salas de cinema nacionais marcada para 8 de setembro, “Three Thousand Years of Longing” conta com Tilda Swinton e Idris Elba nos principais papéis e conta a história de Alithea Binnie, uma académica que é conhecida por ser apologista da razão, aqui interpretada por Swinton.

Um dia, tem um encontro inesperado com um “génio” (sim, como o da lâmpada mágica de Aladino), em Istambul, na Turquia, que lhe oferece três desejos em troca da liberdade. Racional, Alithea depara-se com duas questões. Primeiro, será que ele, Djinn, interpretado por Idris Elba, é real? Segundo, o que fazer com os desejos que virão a ser-lhe concedidos?

História e mitologia sempre retrataram os contos sobre desejos como lições morais, etapas de aprendizagem. A literatura está repleta de exemplos. E neste filme, a razão acaba por sucumbir à curiosidade e Alithea irá, efetivamente, pedir um desejo, mas um que irá surpreender ambos os envolvidos.

O filme marca o regresso de George Miller ao cinema depois do sucesso de “Mad Max: Fury Road” (Mad Max: Estrada da Fúria), de 2015. Um interlúdio nas filmagens que irá dedicar ao universo de Mad Max para a prequela “Furiosa”, com Anya Taylor-Joy, que tem estreia prevista para maio de 2024.

Recomendadas

“Trair e Coçar é só começar” vai ter dois ensaios solidários

O público português tem a oportunidade de assistir aos últimos ensaios antes da grande estreia e apoiar, assim, duas associações de solidariedade.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Sociopata narcisista”. Uma classificação nada abonatória, mas é assim que é descrita Meghan Markle por ex-funcionários do Palácio de Buckingham que trabalharam para os duques de Sussex, segundo o que é revelado no novo livro de Valentine Low, que escreve sobre assuntos reais para o “The Times”.
Comentários