Tribunal rejeita estender detenção de Carlos Goshn, ex-presidente da Nissan

Além de Ghosn foi também detido o seu principal colaborador, o norte-americano Greg Kelly.

Carlos Ghosn

Um tribunal japonês rejeitou hoje um pedido para prorrogar a detenção do ex-presidente da Nissan Carlos Goshn, detido no Japão, onde já foi formalmente acusado de ocultar rendimentos, informaram os ‘media’ nipónicos.

O tribunal distrital de Tóquio rejeitou o pedido dos procuradores para estender a detenção do empresário por mais dez dias.

Carlos Ghosn, detido em Tóquio a 19 de novembro, foi entretanto demitido como presidente da Nissan e também das mesmas funções na empresa japonesa Mitsubishi.

Além de Ghosn foi também detido o seu principal colaborador, o norte-americano Greg Kelly.Ca

Recomendadas

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,

Ucrânia. PM de Moçambique diz que “interesses do país” levaram a abster-se de condenar Rússia

“Não estamos a tomar posição nem de um lado, nem do outro. Estamos a tomar aquilo que a nossa Constituição nos diz para fazer e que é bom para o país e para os interesses de Moçambique”, salientou o primeiro-ministro moçambicano.

Lavrov acusa os EUA de “brincarem com o fogo” em Taiwan

Sergei Lavrov diz que os EUA estão a tentar fazer do mundo “o seu quintal” através da aplicação de sanções e acusa-os de “brincarem com o fogo” em Taiwan.
Comentários