Tribunal rejeita pedido de Trump para entrega de declarações de impostos ao Congresso

Trump foi o primeiro presidente em 40 anos a não revelar as suas declarações de impostos, já que pretendia manter em segredo os detalhes sobre a sua fortuna.

Um juiz dos EUA rejeitou, na terça-feira, uma proposta de Donald Trump, e decidiu que a Comissão de Orçamento e Finanças da Câmara dos Representantes tem direito a analisar os registos fiscais do ex-presidente americano, segundo a “Reuters”.

O juiz distrital dos EUA, Trevor McFadden, disse na sua decisão que Trump estava “errado” ao tentar impedir que tivessem acesso às suas declarações de impostos. McFadden referiu também que o presidente da comissão tem o poder de publicar os resultados se julgar adequado.

Trump foi o primeiro presidente em 40 anos a não revelar as suas declarações de impostos, já que pretendia manter em segredo os detalhes sobre a sua fortuna e as atividades da empresa da sua família, a Organização Trump.

Em 2019 a comissão avançou com uma ação no sentido de forçar a divulgação das declarações de impostos, e a disputa perdurou até 11 meses depois de Trump ter deixado o cargo de presidente dos EUA.

No mês passado o advogado de Trump, Patrick Strawbridge, disse a McFadden que a comissão não tinha nenhuma razão legítima para ver as declarações de impostos e alegou que se este tipo de informação fosse revelada poderiam prejudicar Trump politicamente.

Por sua vez, McFadden, nomeado por Trump, disse que o comissão seria capaz de cumprir o seu objetivo sem publicar os resultados.

Recomendadas

Irão: Guarda Revolucionária ataca grupos curdos no Iraque

A poderosa Guarda Revolucionária do Irão desencadeou hoje uma onda de ataques com ‘drones’ e artilharia no norte do Iraque, visando o que Teerão diz serem bases de separatistas curdos iranianos, indicou agência noticiosa semioficial Tasnim.

António Guterres pede fim da “era da chantagem nuclear” e apela a “recuo”

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou hoje ao fim da “era da chantagem nuclear”, afirmando que o uso de armas nucleares levaria a um “armageddon humanitário”, tornando necessário um “recuo” face às atuais tensões.

Ucrânia. Reino Unido sanciona organizadores de “referendos fraudulentos”

O Reino Unido anunciou hoje sanções contra 33 indivíduos ligados a “referendos fraudulentos” sobre a integração na Rússia de regiões da Ucrânia sob ocupação russa.
Comentários