Trinta das maiores tecnológicas do mundo dão emprego a sete milhões de pessoas

Ao contrário do que seria de expectável, entre as 30 maiores empresas tecnológicas do mundo, as empresas-referência Apple (147 mil), Microsoft (163 mil) e Google (60 mil) têm uma população laboral mediana.

As trinta maiores empresas tecnológicas do mundo somam um total de sete milhões de funcionários, o que corresponde a mais de dois terços da população de Portugal (10.286.263 de habitantes) e um número muito próximo da soma total dos efetivos dos exércitos dos Estados Unidos (3,2 milhões), da China (2,3 milhões) e da Rússia (1,8 milhões).

De acordo com o espanhol “El Economista”, a só a norte-americana Amazon emprega quase 1,3 milhões de trabalhadores, seja a tempo inteiro ou em part-time. No último ano, a gigante do comércio eletrónico, também com negócios no streaming e na área de serviços informáticos e cloud, incorporou um total de 427 mil novos empregados, apesar da pandemia. O reforço em recursos humanos quase que representou um reforço de 1.169 novos funcionários por dia. Fora desta contabilidade ficaram os 600 mil funcionários que, habitualmente, a Amazon emprega durante as épocas de Natal e Black Friday.

Logo atrás da Amazon surge a Foxconn, do Taiwan. Aquela que é a maior fabricante de computadores e componentes eletrónicos conta com 1,2 milhões de trabalhadores. Apesar do histórico diferendo entre a pequena nação insular e a China, esta gigante tecnológica é a maior exportadora da China, produzindo eletrónica de consumo das marcas Apple, Microsoft, Samsung, Sony e Amazon, entre outras.

O jornal espanhol destaca também a multinacional Accenture como uma das maiores empregadoras mundiais. Somando todas as subsidiárias, a gigante da consultadoria, que também desenvolve serviços tecnológicos, emprega 470 mil pessoas em 120 países. Seguem-se duas das mais emblemáticas fabricantes de smartphones: a sul-coreana Samsung cuja população laboral ascende aos 320 mil funcionários; e a chinesa Huawei, que conta com cerca de 200 milhões de trabalhadores.

Mas, observando indústria a indústria, é nas telecomunicações que se encontram o maior número de grupos de telecomunicações de dimensão planetária. Nos EUA, a AT&T emprega 273 mil funcionários, seguindo-se a Verizon com 250 mil trabalhadores. Na Europa, destacam-se a germânica Deutsche Telekom com 248 mil trabalhadores e a francesa Orange com 170 mil funcionários.

A China Mobile (112 mil funcionários), a espanhola Telefónica (113 mil), a sueca Ericsson (99 mil), as britânicas BT (106 mil) e Vodafone (86 mil) são outros grupos de telecomunicações que também se evidenciam pela a dimensão dos recursos humanos que dispõem.

Ao contrário do que seria expectável, entre as 30 maiores empresas tecnológicas do mundo, as empresas-referência Apple (147 mil), Microsoft (163 mil) e Google (60 mil) têm uma população laboral mediana.

Recomendadas

Andy Brown deixa presidência executiva da Galp no final do ano

Andy Brown destacou, citado na nota, que aceitou “com grande honra o convite para completar o mandato 2019-2022 com o objetivo de preparar a companhia para um futuro de sucesso em tempos de grandes desafios para o sector”.

Empresas reafirmam investimento contra riscos cibernéticos

A cibersegurança é uma prioridade para as empresas. O reforço do investimento na proteção de contra ataques mantém-se apesar da conjuntura atual marcada pela subida dos custos. 

Equinix cria fundo solidário de 50 milhões para promover a inclusão digital

A empresa de tecnologia norte-americana criou uma nova estrutura de apoio educativo. O conselho de administração da fundação irá, todos os anos, determinar o montante de doações da fundação, de modo a cobrir a concessão de contribuições ou a correspondência com as ofertas dos colaboradores.
Comentários