Trump anuncia recandidatura à Presidência dos EUA para “trazer a América de volta” (com áudio)

“A fim de tornar a América grande e gloriosa novamente estou a anunciar esta noite a minha candidatura à Presidência dos Estados Unidos”, disse o bilionário ao ser aplaudido por uma multidão na sua mansão em Mar-a-Lago, na Florida.

O ex-Presidente norte-americano Donald Trump anunciou na noite de terça-feira a sua terceira recandidatura à Casa Branca e prometeu “trazer a América de volta”.

“A fim de tornar a América grande e gloriosa novamente estou a anunciar esta noite a minha candidatura à Presidência dos Estados Unidos”, disse o bilionário ao ser aplaudido por uma multidão na sua mansão em Mar-a-Lago, na Florida.

“Nunca houve um movimento como este no mundo, que compita com o que nós conseguimos fazer. O regresso da América começa agora”, acrescentou.

Trump entrou numa luxuosa sala repleta de apoiantes ao lado da mulher, Melania Trump, tendo sido apresentado como o “próximo Presidente dos Estados Unidos da América”.

O magnata recordou o primeiro mandato de forma idílica, descrevendo esse período como um país em paz, próspero e respeitado no cenário internacional.

Momentos antes do anúncio público, Trump já havia formalizado esta que é a terceira candidatura à Presidência, com um documento enviado à Comissão Eleitoral Federal norte-americana.

Trump tornou-se assim o primeiro político a oficializar a candidatura às eleições presidenciais de 2024.

O anúncio de Trump acontece num momento em que crescem sinais de relutância dentro do Partido Republicano em ver Trump regressar a uma corrida presidencial, já que muitos candidatos que apoiou nas eleições intercalares saíram derrotados nas disputas com os democratas.

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

Premium“Para quem não tenha notado, a Rússia vai ficar ali” e a segurança da Europa passa por lá

As palavras do presidente francês cairam mal na invadida Ucrânia e nos longínquos EUA. Entretanto, ninguém sabe quais serão as consequências da decisão sobre petróleo russo.

PremiumPaíses ocidentais com fortes reservas face à coligação em Israel

A colocação de um extremista, racista e adepto da violência na direção do ministério que trata da segurança interna do país é considerado um desastre em potencial. A não ser que Netanyahu queira fazer com Itamar Ben-Gvir o mesmo que fez há uns anos com Ben Gantz.
Comentários