Trump deu passo atrás

Paradoxalmente, as ‘midterm’ podem ter sido ao mesmo tempo más para Trump e para Biden. DeSantis saiu reforçado.

Correndo o risco de escrever sem ainda conhecermos o desfecho final das eleições, parece ser já relativamente claro que as midterm não correram bem a Donald Trump.

O ex-presidente dos EUA arriscou antes da votação e disse que iria fazer “um grande anúncio” na próxima semana, que se supõe seja a sua recandidatura à Casa Branca. No entanto, na quarta-feira relatava-se um Trump exasperado perante os resultados entretanto divulgados.

Os Republicanos terão conseguido o controlo da Câmara dos Representantes, mas o Senado ainda poderá ficar nas mãos dos Democratas, o que inviabilizará uma “onda de vitória Republicana”. Trump envolveu-se nesta campanha, mas alguns dos nomes que apoiou de forma mais evidente perderam. Isto justifica a sua frustração porque está a ser feita uma leitura de rejeição ao antigo presidente. Partindo de expectativas muito baixas, os Democratas respiram de alívio, embora a Casa Branca tenha a perfeita noção de que qualquer iniciativa legislativa mais relevante passará a ter de ser amplamente negociada com a oposição.

Paradoxalmente, as midterm podem ter sido, ao mesmo tempo, más para Trump e para Biden. O grande vencedor pode ter sido Ron DeSantis, que conseguiu a sua reeleição como governador da Florida com grande margem e ganhando em condados tradicionalmente dos Democratas. Embora seja mais jovem do que a média, DeSantis está cada vez mais bem posicionado para vencer as primárias Republicanas.

Muitos americanos estão profundamente descontentes com Joe Biden, Kamala Harris e o partido Democrata em geral, mas consideram que Donald Trump é “invotável”. DeSantis poderá aproveitar todo este contexto para se afirmar como um candidato à Casa Branca capaz de derrotar Joe Biden.

Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.
Comentários