PremiumTurismo: Cresce ou não em 2020?

Para a recém-chegada secretária de Estado Turismo, Rita Marques, o setor atingiu o seu “estado maduro”, o qual não é sinónimo de estagnação mas sim de crescimento moderado

Enquanto os decisores políticos e os principais agentes económicos do setor vão alinhando na perspetiva otimista de um crescimento que continuará, ainda que a ritmo inferior ao alcançado nos últimos anos, os resultados obtidos na entrada do último trimestre deste ano deixam a porta entreaberta a um sentido diferente na trajetória do setor vedeta da economia portuguesa.

Para a recém-chegada secretária de Estado Turismo, Rita Marques, o setor atingiu o seu “estado maduro”, o qual não é sinónimo de estagnação mas sim de crescimento moderado.

Contudo, admite que estão longe dos aumentos de dois dígitos que o caracterizaram nos últimos anos. A inevitabilidade do compasso a dois dígitos é corroborada por Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo de Portugal, defendendo mesmo não ser possível crescer infinitamente a tal ritmo, porém, se solucionadas questões prementes como o aeroporto de Lisboa ou a falta de recursos humanos qualificados, entre outros, o setor continuará a registar um crescimento sustentado.

Com a moderação e a desaceleração nos pratos da balança, os números da atividade turística de outubro deste ano, apurados pelo Instituto Nacional de Estatística, veem reforçar a inversão de sentido dos últimos meses e os recuos voltam a evidenciar-se com a estada média a ficar-se pelas 2,55 noites, numa redução de 3,2%; a taxa de ocupação foi de 48,7% (menos 1,2 p.p.), e as receitas totais, a desacelerar para 5,4%, atingiram 387,9 milhões de euros.

Em jeito de “big picture”, a Conta Satélite do Turismo sobre 2018, agora apresentada pelo INE, vem mostrar que o Valor Acrescentado Bruto gerado pelo Turismo (VABGT) atingiu 14.091 milhões de euros em 2018 (em 2017 tinham sido 13.045 milhões e em 2016, 11.123 milhões). Ainda que esteja em causa um aumento de 8% do VAB, não deixa de representar uma desaceleração relativamente aos 17,3% verificados em 2017.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

OPEP retoma reuniões presenciais perante medo de recessão internacional

A OPEP+, o grupo integrado pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e aliados, reúne-se quarta-feira pela primeira vez presencialmente desde março de 2020, num momento em que crescem os receios de uma recessão internacional.

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.
Comentários