Turismo de Portugal reforça investimento no Brasil

O Turismo de Portugal prevê aumentar o investimento no Brasil em 20% em 2016, apesar da crise económica que atinge aquele país, com uma estratégia de reforço da presença naquele mercado para manter o fluxo de turistas. “O Brasil é um mercado importante, então a atitude será a de reforçar o investimento para não sofrer […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O Turismo de Portugal prevê aumentar o investimento no Brasil em 20% em 2016, apesar da crise económica que atinge aquele país, com uma estratégia de reforço da presença naquele mercado para manter o fluxo de turistas.

“O Brasil é um mercado importante, então a atitude será a de reforçar o investimento para não sofrer tanto com a desvalorização do real [moeda brasileira] e para atrair o turista com destinos competitivos e adequados”, afirmou à Lusa Luis Matoso, vogal do Conselho Diretivo do Turismo de Portugal, durante a 43ª edição da ABAV – Expo Internacional de Turismo, organizada pela Associação Brasileira de Agências de Viagens, que está a decorrer em São Paulo, desde quinta-feira.

Em 2015, a entidade investiu um milhão de euros com promoção, distribuição, comunicação, presença em feiras e outros assuntos relacionados com Brasil. Para o próximo ano, a expetativa é, portanto, de um investimento de 1,2 milhão de euros, segundo Matoso.

O Brasil é atualmente o quinto país emissor de turistas para Portugal, e o número de turistas brasileiros no mercado português tem registado um crescimento anual de 6%, com um aumento de cerca de um milhão de dormidas no ano passado. Em 2014, 581 mil turistas brasileiros estiveram em Portugal, e 266 mil visitaram o país entre janeiro e junho. Neste ano, no primeiro semestre registou-se a entrada de 274 mil turistas brasileiros, segundo o Turismo de Portugal.

Luis Matoso afirmou que a intenção para os próximos semestres é manter o volume de turistas brasileiros no mercado português, mas admitiu que “há a possibilidade de haver um decréscimo”, devido à conjuntura económica brasileira. A “nossa proximidade com o Brasil é para os bons e maus momentos, a situação atual é cíclica, passageira”, disse.

O país ainda se apresenta como uma oportunidade, segundo o vogal do Conselho Diretivo, porque o seu território é grande, e há turistas de Estados distantes dos grandes centros, além de ter em comum com Portugal a cultura e a língua, o que pode atrair viajantes que não falam outros idiomas.

Portugal está presente na 43ª edição da ABAV, que ocorre até sábado, com um stand de 300 metros quadrados, e representantes de cinco entidades do turismo regional e de mais de 20 empresas do ramo, incluindo da TAP.

Os empresários afirmaram que desenvolvem estratégias para contornar a desvalorização do real e atrair turistas. “Montamos produtos adaptados à conjuntura, com sítios menos conhecidos e preços mais competitivos”, afirmou o gestor de negócios da Osíris Travel, Ricardo Ferreira.

Luís Santos, diretor comercial da Turim Hotels, afirmou que é importante que o agente de viagens cada vez mais seja um consultor de ideias, que conheça o destino, e realçou que os voos diretos da TAP para o norte do Brasil ajudam a atrair turistas.

Já para o Grupo Vila Galé, que possui sete resorts no Brasil e um oitavo que será construído, a desvalorização do real pode ser vantajosa, por atrair o turista estrangeiro e o brasileiro que decida cancelar uma viagem para o exterior, segundo o administrador Gonçalo Rebelo de Almeida. O grupo informou ter registado 15% de crescimento no número de dormidas no Brasil no primeiro semestre.

OJE

Recomendadas

Macau renova licenças às seis atuais operadoras de casinos no território

MGM Grand Paradise, Galaxy Casino, Venetian Macau, Melco Resorts (Macau), Wynn Resorts (Macau) e SJM Resorts viram as propostas aprovadas.

PremiumOCDE deixa quatro recados a Portugal, do PRR ao orçamento

A OCDE está menos otimista do que estava no verão quanto à evolução da economia portuguesa no próximo ano, tendo revisto em baixa a previsão de crescimento do PIB. Aproveitou também para alertar para a importância do PRR e da consolidação orçamental.

OE2022: Segurança Social regista excedente de 3.358 milhões de euros até outubro

A receita da Segurança Social aumentou em 9,1% e atingiu os 28.387,7 milhões de euros até outubro, enquanto a despesa caiu 0,5% para 25.030,1 milhões de euros, de acordo com a síntese divulgada hoje pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).