Turismo manteve-se na faixa de aceleração. Estrangeiros continuam a escolher Portugal

O mercado externo verificou 1,8 milhões de dormidas, um acréscimo de 1.173,3% em relação a janeiro. O Reino Unido e a Alemanha continuam a ser os principais mercados importadores de não residentes em Portugal.

Portugal

O alojamento turístico registou 1,2 mil hóspedes em fevereiro, representando um crescimento de 507% em relação ao mês anterior, enquanto o total de dormidas se fixou em 2,9 milhões, um aumento de 527,1%, de acordo com os dados da atividade turística do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados esta quinta-feira, 31 de janeiro.

Quando comparado com os dados do mesmo mês de 2020, verifica-se que ainda não existiu uma recuperação de hóspedes e de dormidas. Face a fevereiro de 2020, os hóspedes registaram um decréscimo de 21,2% e as dormidas diminuíram 23,1% no mesmo mês de 2022.

O gabinete estatístico indica que as dormidas em hotelaria aumentaram 621,2% no mês em análise, ainda que representem uma quebra de 26,4% em relação ao mês homólogo de 2020. Por sua vez, as dormidas em alojamentos locais cresceram 281,8%, menos 6,9% face ao mesmo mês de 2020, enquanto as de turismo em espaços rurais e de habitação aumentaram 404,1%, mais 12,6% relativamente a fevereiro de 2020.

O mercado interno contribuiu com 1,2 mil dormidas e os mercados externos com 1,8 milhões, significando acréscimos de 251,8% e de 1.173,3%. Face ao mês homólogo de 2020, verificam-se diminuições de 11,1% nas dormidas de residentes e de 29,2% nas de não residentes, não existindo ainda recuperação pré-pandemia.

Os primeiros dois meses do ano observaram um aumento de 322,4% das dormidas torais, com os estrangeiros a verificarem a maior subida (597,9%).

Os dados indicam que os 17 principais mercados emissores apresentaram “aumentos expressivos” em fevereiro, representando 87% das dormidas de não residentes nos alojamentos turísticos. O mercado britânico representou 17,8% do total de dormidas de não residentes, seguindo-se os mercados alemão (11,5%) e espanhol (11,4%).

As regiões nacionais apresentaram acréscimos em termos de dormidas. A Área Metropolitana de Lisboa concentrou 29,2% das dormidas, o Algarve conseguiu o segundo lugar (20,3%), o Norte reuniu 18,1% e a Região Autónoma da Madeira um total de 13,5%. No entanto, quando comparado com o mesmo período de 2020, observou-se uma diminuição de dormidas em todas as região, mais acentuadamente no Algarve.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

Cinco milhões depois a Feira Popular acabou, burlas nos arrendamentos nos sites imobiliários e justiça europeia investiga dono da TVI são algumas das manchetes que marcam o dia.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta quarta-feira

Moção de censura do Chega debatida e votada, ANA – Aeroportos de Portugal ouvida na Assembleia da República e deputados decidem se chamam Pedro Nuno Santos por causa do novo aeroporto do Montijo.
Comentários