Turistas nos Açores e Madeira dispararam mais de 59% em outubro

Apesar das dormidas do mercado interno terem estado em destaque nos últimos meses, as dormidas provenientes do mercado externo predominaram em outubro de 2019.

O alojamento turístico registou 2,1 milhões de hóspedes, representando um crescimento de 115,5% em relação ao mês anterior, enquanto o total de dormidas se fixou em 5,5 milhões, um aumento de 139%, de acordo com os dados da atividade turística do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados esta quarta-feira, 15 de dezembro.

Face ao mês de outubro de 2019, os hóspedes diminuíram 14,6% e as dormidas caíram 13,5%. Ou seja, numa análise aos meses anteriores é possível perceber que a diferença dos valores entre 2019 e 2021 se têm aproximado, com o turismo estando cada vez mais perto de atingir dados registados no pré-pandemia.

Nos primeiros dez meses do ano, observou-se um acréscimo de 31% nas dormidas totais, com os residentes a representarem 31,9% e os não residentes a terem um peso de 30%. Comparando com o período homólogo de 2019, é possível verificar que as dormidas desceram 49,9%, sendo menos 11% nos residentes e menos 66,3% nos não residentes.

O mercado interno contabilizou dois milhões de dormidas e aumentou 65,4%. Por sua vez, “os mercados externos predominaram e totalizaram 3,5 milhões de dormidas (+216,6%)”. Em comparação com outubro de 2019, assistiu-se a um crescimento de 28,2% nas dormidas de residentes e um decréscimo de 26,7% nas de não residentes.

No mês de outubro, todas as regiões apresentam acréscimos no número de dormidas. O Algarve concentrou 29%, a Área Metropolitana de Lisboa verificou 24,1%, o Norte assistiu a 16% e a Madeira observou 11,9%.

“Nos primeiros dez meses do ano, todas as regiões apresentaram acréscimos no número de dormidas, com realce para as evoluções apresentadas pelos Açores (+114,0%) e Madeira (+59,1%). Os acréscimos foram generalizados às dormidas de residentes, com destaque para a Madeira (+106,6%), Açores (+97,6%) e Algarve (+35,7%) e também às de não residentes (com o maior aumento nos Açores: +150,6%)”, escreve o INE.

O gabinete estatístico nacional mostra que a taxa líquida de ocupação-cama nos estabelecimentos de alojamento turístico aumentou 21,9 pontos percentuais em outubro, fixando-se em 42,3%, face ao crescimento de 13,5 pontos em setembro. Em outubro de 2019, a ocupação tinha sido de 48,4%. As taxas mais elevadas registaram-se na Madeira (59,4%), Lisboa (48,1%), Açores (43,6%) e Algarve (42,4%).

Recomendadas

Líder da Fretilin propõe relação mais económica entre Portugal e Timor-Leste

Em entrevista à Lusa em Lisboa, Mari Alkatiri explicou que esse tem sido o tema das conversas com políticos portugueses, entre os quais o Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, defendendo uma relação multilateral do quadro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

“Governo vai mexer nos escalões do IRS no próximo ano”; “Polícias proibidos de disparar com balas reais contra multidões”; “22 mil milhões de euros para a banca”

Dívida pública federal dos EUA supera 31 biliões de dólares

Aproximando-se do limite legal de 31,4 biliões – um limite artificial colocado pelo Congresso à capacidade de endividamento do governo federal -, a dimensão da dívida confronta uma economia que enfrenta uma inflação elevada, taxas de juro em crescendo e um dólar forte. 
Comentários