Turquia aumenta pressão sobre Ucrânia e Rússia para assegurar corredor de cereais

Ucrânia e ocidente acusam Moscovo de utilizar os alimentos como ‘arma de guerra’. Por sua vez, a Rússia culpa as minas ucranianas colocadas no mar e as sanções internacionais.

Turquia

Os esforços turcos para aliviar uma crise alimentar global têm aumentado nas últimas semanas. No entanto, após a Ucrânia acusar o Kremlin de impor “condições irracionais”, referindo-se à ‘oferta’ de “embarque gratuito” mediante o fim das sanções proposta pela Rússia, dificultam a mediação de Istambul para assegurar um corredor seguro para a exportação de cereais através dos portos do Mar Negro, avança a “Reuters”.

A guerra entre a Rússia e a Ucrânia, terceiro e quarto maiores exportadores de grãos do mundo, respetivamente, fez disparar a inflação sobre os preços dos alimentos e colocou em risco a oferta global de alimentos.

A Rússia conquistou grande parte da costa da Ucrânia em quase 15 semanas de guerra e os seus navios de guerra controlam os mares Negro e Azov, bloqueando as exportações agrícolas da Ucrânia e elevando o custo dos cereais.

Ucrânia e ocidente acusam Moscovo de utilizar os alimentos como ‘arma de guerra’. Por sua vez, a Rússia culpa as minas ucranianas colocadas no mar e as sanções internacionais.

Mevlut Cavusoglu, ministro dos Negócios Estrangeiros da Tuquia, afirmou que as negociações esta quarta-feira, 8 de junho, em Ancara foram “frutíferas” e que a retomada das exportações de cereais ucranianas pela via marítima parece agora mais “razoável”.

Já Sergei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, que discursou ao lado do homólogo turco, aponta como fundamental a retirada das minas colocadas pelos ucranianos ao largo dos portos no Mar Negro como um pré-condição para garantir o embarque seguro dos cereais.

Já o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, referiu que os volumes de cereais russos só poderiam ser entregues aos mercados internacionais se as sanções fossem suspensas. Ele disse que “ainda não houve conversas substanciais sobre isso”.

Recomendadas

Bruxelas dará “resposta mais forte possível” em caso de sabotagem no Nord Stream

A presidente da Comissão Europeia assegurou que, caso as três fugas detetadas nos gasodutos submarinos Nord Stream no mar Báltico sejam uma “ação de sabotagem”, haverá “uma forte resposta”.

Ucrânia: Autoridades pró-russas anunciam vitória do ‘sim’ à anexação em Zaporijia

As autoridades pró-Moscovo anunciaram que a região ucraniana de Zaporijia, uma das quatro ocupadas pela Rússia, aprovou a anexação à Federação Russa no referendo que decorreu nos últimos quatro dias.

Dezenas de milhares de russos fogem para a Geórgia, Cazaquistão e Arménia

Por não exigirem visto para cidadãos russos, a Geórgia e a Arménia têm sido um destino importante para os russos em fuga desde o início da guerra iniciada em 24 de fevereiro.
Comentários