Turquia diz que é “atualmente impossível” a entrada da Suécia na NATO

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia referiu que neste momento o seu país não pode aceitar a adesão da Suécia à NATO. E não deu qualquer indicação de que Ancara tenha em vista voltar à mesa das negociações.

7. Suécia – 73.53

De acordo com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia, Mevlut Cavusoglu, o país não tem condições para não impedir a entrada da Suécia na NATO. E não mudara de opinião enquanto Estocolmo não mudar ela própria de atuação.

Em conferência de imprensa realizada na Hungria, onde se encontra de visita, e citado pelos jornais turcos, o ministro disse que “assim como a Hungria, a Turquia apoia a expansão da NATO e sempre demonstrou a mesma atitude sobre a adesão de países candidatos”.

“No entanto, embora a Turquia entenda as preocupações de segurança da Suécia e da Finlândia, é inaceitável que as preocupações de segurança da própria Turquia não sejam atendidas”.

A menos que os compromissos sejam cumpridos, a Turquia não pode ratificar a adesão da Suécia à NATO, declarou Cavusoglu, observando que a NATO deseja que o processo de adesão da Suécia e da Finlândia ocorra em paralelo. No entanto, “se for tomada uma decisão sobre o processo, o próprio presidente Erdogan expressou que teríamos uma visão mais positiva sobre a Finlândia”.

O ministro chegou mesmo a dizer que a Finlândia se recusaria a permitir um ato como a queima de um livro sagrado – como ocorreu na Suécia com o Corão. De qualquer modo, se a Suécia cumprir os seus compromissos no futuro, a Turquia considerará outras opções. “Mas, da forma como as coisas estão, não podemos dizer sim”.

O seu homólogo húngaro, Peter Szijjarto, expressou o apoio húngaro ao alargamento da NATO: “avaliaremos a entrada da Suécia e da Finlândia no Parlamento em fevereiro”, disse. “Não pressiono o lado turco para agir mais rapidamente porque isso não me compete. E não posso dar lições ao governo turco”, disse.

Mas o diplomata húngaro também condenou a queima do Corão, dizendo que é “absolutamente inaceitável para um cristão que o livro sagrado de outra religião tenha sido queimado”.

“Estamos falando de um país que deseja integrar a NATO”, destacou. “Talvez devessem comportar-se um pouco melhor. Digo isso apenas como observador: devem mostrar mais respeito”.

Segundo as mesmas fontes, os ministros discutiram ainda formas de reforçar a sua cooperação na área da defesa. Para Cavusoglu, “o nosso contato com a Hungria em todos os níveis continua cada vez melhor. Estamos a debater todos os aspetos do nosso entendimento. A Turquia vai fornecer gás do Azerbaijão à Hungria.

O ministro deixou ainda um convite a Viktor Orbán para visitar a Turquia.

Recomendadas

Leroy Merlin quer encerrar negócio na Rússia

A empresa quer que a nova administração salvaguarde os empregos dos 45 mil funcionários.

PremiumAcordo Sérvia-Kosovo tem impacto indireto na riqueza nacional

O reconhecimento do Kosovo por parte da Sérvia abre as portas à entrada dos países dos Balcãs Ocidentais na União. Se isso suceder, parte das regiões mais pobres do país passam à condição de ricas – com impacto na exposição aos fundos estruturais. Ribau Esteves comenta.

PremiumMoldávia volta a estar no centro do furacão da guerra na Ucrânia

No início da invasão, o pequeno país chegou a ser dado como o passo seguinte das tropas russas. Escapou. Mas o bom entendimento com a União Europeia trás o perigo de regresso.
Comentários