Turquia rejeita sanções da União Europeia

“Tendencioso e prejudicial para a estabilidade regional”, diz Ancara sobre as medidas avançadas pela Cimeira Europeia. A União vai elaborar um relatório que identifique novas sanções à Turquia – com o Mediterrâneo Oriental como pano de fundo.

As autoridades turcas manifestaram a sua estranheza e oposição às sanções que a Cimeira da Europa decidiu aplicar à Turquia, na sequência do conflito aberto com a Grécia e Chipre a propósito da prospeção de petróleo e gás natural nas águas do Mediterrâneo Orienta.

“A postura injusta de alguns países da União Europeia em relação à Turquia forçam Ancara e Bruxelas a um ciclo vicioso, prejudicando interesses comuns, bem como a paz, estabilidade e segurança regionais”, disse o Ministério das Relações Exteriores turco em comunicado oficial esta sexta-feira.

Embora vários países membros da União tenham procurado o diálogo com a Turquia desde a cimeira de outubro, uma agenda positiva nas relações entre a Turquia e a União está agora bloqueada, nomeadamente porque, diz Ancara, os 27 tomaram medidas restritivas que não trarão benefícios a todos, devido aos interesses políticos de alguns Estados-membros.

“Rejeitamos a postura preconceituosa de violação da lei que teve de ser inserida nas conclusões da cimeira da União de 10 de dezembro”, “embora saibamos que grande parte da União não adota essas posturas”, diz o comunicado.

O presidente turco, Recep Erdogan, também se referiu ao assunto, tendo dito que alguns países ​​do bloco mostraram uma abordagem positiva na cimeira “e atrapalharam o jogo contra a Turquia” – cujos “direitos devem ser respeitados”. Erdogan recordou que a União está em falta com a Turquia, nomeadamente no que tem a ver com a liberalização dos vistos e a atualização da união aduaneira entre as duas partes.

Para a Grécia, recorde-se, as medidas tomadas na cimeira não são suficientes: a União hesitou em recusar a procura de hidrocarbonetos no Mediterrâneo Oriental porque Alemanha, Itália e Espanha pressionaram para dar mais tempo à diplomacia.

O Ministério das Relações Exteriores turco reiterou que a Turquia expressou repetidamente que estava pronta para lançar conversações exploratórias com a Grécia em prol da estabilidade regional.

Os líderes da União decidiram elaborar uma lista de alvos turcos para exercerem sanções em resposta às atividades de perfuração de Ancara no Mediterrâneo Oriental. As conclusões, divulgadas por um porta-voz do Conselho Europeu, apelavam à elaboração de uma lista de metas para “medidas restritivas”. Os líderes incumbiram o chefe do diplomata da União, o espanhol Josep Borrell, de preparar um relatório sobre novas medidas que podem vir a ser tomadas para, a ser apresentado até março próximo.

Recomendadas

Itália: Velha guarda da Liga Norte pede cabeça de Salvini após revés

A velha guarda da Liga Norte, transformada em Liga com Matteo Salvini como líder, criticou-o duramente após o revés nas legislativas de domingo.

Agência de Energia e Irão retomam contacto em Viena

O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, reuniu-se com o chefe do programa nuclear iraniano, Mohammad Eslami, para retomar os contactos e esclarecimentos.

São Tomé: CPLP diz que comissão eleitoral é soberana na divulgação de resultados

O chefe da missão de observação eleitoral da CPLP, o embaixador Rafael Vidal, disse que a lei são-tomense não obriga à divulgação dos resultados provisórios antes da contagem nos distritos.
Comentários