Twitter já gastou 33 milhões no acordo com Elon Musk

Além dos custos de 33 milhões, o Twitter também culpou parcialmente a queda de 1% na receita pela “incerteza” causada pela turbulenta aquisição de Musk.

Elon Musk

A conflito entre o Twitter com o CEO da Tesla, Elon Musk, está a custar caro à empresa que disse, no seu relatório de ganhos do segundo trimestre, que já incorreu em 33 milhões de dólares (32,29 milhões de euros) em custos relacionados com a “aquisição pendente” de Musk.

Elon Musk concordou em comprar o Twitter por 44 mil milhões de dólares (43,03 mil milhões de euros) em abril, mas anunciou em 8 de julho que pretendia abandonar o negócio.

Além dos custos de 33 milhões, o Twitter também culpou parcialmente a queda de 1% na receita pela “incerteza” causada pela turbulenta aquisição de Musk, segundo a “Business Insider”.

É previsível que os custos do Twitter continuem a aumentar à medida que se aproxima da batalha legal com Musk. O Twitter contratou o escritório de advocacia corporativa Wachtell, Lipton, Rosen & Katz LLP para ajudar a processar Musk com o objetivo de forçá-lo a aderir ao acordo original e comprar a empresa.

Por sua vez, Musk alega que o Twitter lhe deu uma falsa impressão sobre o número de contas falsas na plataforma. Nos registos regulatórios, o Twitter diz que cerca de 5% das contas são falsas, mas os advogados de Musk disseram que o número é “descontroladamente superior a 5%”.

Os advogados do Twitter dizem que a preocupação de Musk acerca das contas falsas é apenas uma desculpa para abandonar o acordo porque as suas ações da Tesla entraram em queda.

Mesmo que o julgamento inicial venha rapidamente a favor do Twitter, Musk poderá recorrer da decisão e fazer o caso durar até três anos.

Recomendadas

Sindicatos atentos ao fundo pensões do BCP

Os Sindicatos Verticais da Banca asseguram aos associados do BCP que tudo farão “na defesa dos seus interesses no Fundo de Pensões do banco”.

BCE vigia 31 bancos por riscos associados à subida das taxas de juro

Banco Central Europeu lançou uma revisão dos riscos de taxa de juro e spread de crédito para avaliar a exposição dos bancos. Numa primeira fase irá monitorizar 31 instituições financeiras

CP transportou 70 milhões de passageiros e supera valores de 2019 no primeiro semestre de 2022

A CP – Comboios de Portugal registou, no primeiro semestre de 2022, um aumento da procura de 77,5%, quando comparado com o período homólogo de 2021, o que se traduz em cerca de 70 milhões de passageiros transportados.
Comentários