Uber dispara 18% numa bolsa de Nova Iorque a encarnado

Apesar dos prejuízos de 2,6 mil milhões de dólares, a empresa norte-americana de transporte de passageiros e refeições viu as receitas do segundo trimestre atingirem os 8,07 mil milhões de dólares, mais do que os 7,39 mil milhões de dólares previstos pelos analistas.

Brendan McDermid/Reuters

A bolsa de Nova Iorque fechou a sessão desta terça-feira em terreno negativo, mantendo o sentimento pessimista com que iniciou as negociações do outro lado do Atlântico. A penalizar os mercados financeiros norte-americanos está sobretudo o contexto geopolítico entre as duas maiores economias do mundo.

Em Wall Street, o índice industrial Dow Jones caiu 1,23% para os 32.396,17 pontos, enquanto o financeiro S&P 500 resvalou 0,66% para os 4.091,36 pontos e o tecnológico Nasdaq deslizou 0,16% para os 12.348,76 pontos. Por sua vez, o Russell 2000 desvalorizou 0,43% para os 1.878,25 pontos.

Ainda assim, as ações da Uber dispararam 18,90% para 29,25 dólares, na sequência de a plataforma de transportes de passageiros e refeições ter apresentado receitas trimestrais acima do esperado pelos analistas. As vendas da Uber no segundo trimestre atingiram os 8,07 mil milhões de dólares, superior aos 7,39 mil milhões de dólares previstos. Ainda assim, o prejuízo líquido foi de 2,6 mil milhões de dólares, que inclui o impacto de 1,7 mil milhões de dólares em relação à reavaliação dos seus investimentos na Grab Aurora e Zomato.

Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp, destaca que Wall Street não aguentou a tensão diplomática causada pela visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a vários países asiáticos, incluindo Taiwan. Segundo o analista, a pressionar “estão ainda notas de que, quando o Congresso norte-americano aprovou um programa federal histórico de 52 mil milhões de dólares para aumentar as capacidades domésticas de fabricação de chips, incluiu uma ressalva significativa, de que as empresas que recebem o financiamento devem prometer não aumentar a sua produção de chips avançados na China”.

Quanto às matérias-primas, o ‘ouro negro’ está a subir menos de 1%. O preço do WTI, produzido no Texas, valoriza 0,40% para os 94,27 dólares por barril, enquanto a cotação do barril de Brent avança apenas 0,16% para os 100,19 dólares por barril. “A OPEP+ está atualmente a 300% em conformidade com os seus cortes na produção, o que significa que a escassez na produção da OPEP+ é de cerca de 1-2 milhões de barris por dia”, apontam os analistas da XTB, numa nota de mercado.

No mercado cambial, o euro está a depreciar 0,90% para os 1,0169 dólares. Já a libra esterlina desce 0,64% face à moeda dos Estados Unidos, para os 1,2170 dólares

“Recomendamos aproveitar as quedas para ir construindo uma carteira de forma gradual e moderada. O fundo de mercado está melhor, graças ao resultados empresariais mais resilientes do que o previsto e às yields das obrigações inferiores ao inicialmente descontado. Um avanço lento, mas contínuo”, sugerem os especialistas de mercados do Bankinter.

Recomendadas

Wall Street fecha semana em alta com semicondutores a darem ímpeto

O sector tecnológico esteve em destaque, beneficiando da aposta dos investidores na recuperação dos fabricantes de semicondutores Nvidia e Micron e dos dados da inflação de julho, que afastam subidas mais fortes das taxas de juro em setembro.

Bolsa de Lisboa encerra sessão a perder mais de 1%

O BCP e a Galp estão a liderar as perdas na bolsa de Lisboa. Por outro lado a Greenvolt é a cotada com mais ganhos.

Wall Street abre no ‘verde’ em linha com congéneres europeias

O Nadaq sobe agora 0,54% para 12.848,50 pontos, o S&P 500 avança 0,51% para 12.848,50 pontos e o Dow Jones valoriza 0,47% para 33.492,84 pontos.
Comentários