Ubiwhere lidera projeto 5G para instalar antenas em postes de iluminação e paragens de autocarro

A empresa nacional quer ajudar a responder aos desafios da implementação do 5G.

©Kendal

Chama-se Scalable and Self-Optimized Wireless Network Backhauling for 5G (SNOB-5G) e é o novo projecto internacional, cujo consórcio será liderado pela Ubiwhere, uma empresa nacional.

«O projecto SNOB-5G é desenvolvido ao abrigo do programa Portugal2020, conta com o apoio do Programa MIT Portugal» e, além da Ubiwhere, conta com a participação do Laboratório de Investigação de Electrónica do MIT, do Instituto de Telecomunicações (Aveiro) e do Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra.

Este projecto tem como objectivo responder aos desafios da implementação do 5G, como as «elevadas expectativas de qualidade», a necessidade de «serviços inteligentes às cidades» e a «sobrepopulação dos centros urbanos» – tudo isto exige uma «instalação massiva e ubíqua de uma rede 5G de forma escalável e eficiente», diz a Ubiwhere.

Desta forma, o SNOB-5G vai reunir vários especialistas em telecomunicações e outras tecnologias para «investigar, desenhar e implementar uma inovadora e robusta solução inteligente para ligações backhaul sem fios entre unidades 5G».

O backhaul é, lembra a empresa nacional, a «estrutura da rede responsável por estabelecer a ligação entre o núcleo da rede e as unidades de distribuição».

Uma das possibilidades em cima da mesa é usar esta tecnologia em «postes de iluminação, bancos ou paragens de autocarro» para emitir o sinal 5G, para que fique disponível para os clientes das operadoras e para «sistemas de transporte inteligentes e comunicação veicular para carros autónomos».

PCGuia
Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.

Restaurantes da AHRESP vão assegurar alimentação dos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude

A AHRESP vai apoiar a Fundação na “definição das regras de funcionamento da rede de restaurantes e similares que irão assegurar o fornecimento de refeições para os participantes da Jornada Mundial da Juventude e contactar restaurantes e similares para promover a sua adesão à rede, bem como promover o uso do Guia de Boas Práticas da Restauração e Bebidas junto da rede”, lê-se no comunicado.  
Comentários