Ucrânia: Acordos sobre cereais permitem escoar dez milhões de toneladas, segundo Guterres

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse hoje estar “determinado” a alcançar a renovação do acordo de exportações de cereais ucranianos através do Mar Negro, que já atingiu um marco de dez milhões de toneladas métricas transportadas.

Numa declaração à imprensa na sede da ONU, em Nova Iorque, Guterres foi questionado sobre o seu grau de otimismo em relação à renovação do acordo, que envolve separadamente a Rússia e a Ucrânia e expira a 19 de novembro, tendo respondido com uma citação de Jean Monnet: “Não estou otimista, não estou pessimista, apenas determinado”.

“E todos deveríamos estar determinados em fazer o que for necessário para garantir que temos a renovação da iniciativa dos cereais do Mar Negro e, ao mesmo tempo, que resolvemos os problemas que persistem na exportação de alimentos e fertilizantes russos”, afirmou.

Momentos antes, Guterres havia anunciado que trazia “notícias esperançosas num mundo agitado em turbulência”, indicando que, até ao momento, dez milhões de toneladas métricas de cereais foram enviadas pelo corredor do Mar Negro.

Recomendadas

Parlamento alemão define como genocídio a “grande fome” na Ucrânia

O parlamento alemão aprovou uma resolução que define de genocídio o ‘Holodomor´’, a “grande fome” que atingiu a Ucrânia em 1932-1933 e que terá vitimado mais de três milhões de ucranianos.

Ucrânia: Portugal reforça com um milhão de euros pacote da NATO de ajuda não letal

“Portugal vai dar um contributo extraordinário para o pacote de assistência abrangente, que é um pacote da NATO para apoio não letal e, portanto, que será também dedicado à reposição da capacidade energética da Ucrânia. E demos hoje a indicação que avançaremos com uma contribuição extraordinária de um milhão de euros”, anunciou.

Ucrânia: UE propõe tribunal especial para julgar “crimes horríveis” da Rússia (com áudio)

O anúncio foi feito hoje pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, numa mensagem difundida através da rede social Twitter, acompanhada de imagens vídeo da declaração.
Comentários